Mais 2577 casos e mais 19 mortes em Portugal nas últimas 24 horas

Portugal registou nas últimas 24 horas mais 2577 casos, baixando dos 3669 que se registaram no sábado. O número de mortes também baixou de 21 para 19. Número de internamentos em enfermarias e em UCI continua a aumentar.

Portugal atingiu esta semana um novo pico de infeções por covid-19. Este domingo o número de novos casos chegou aos 2577 e o de mortes é de 19. Menos dos que se registaram no sábado, em que foram identificados 3669 casos e 21 mortes, passando para um total de 2316.

Neste momento, Portugal tem 47 493 casos por infeção de covid-19 ativos, mais 1523 do que no sábado. A região Norte continua a ser a mais afetada e com maior número de casos diários, 1022, muito menos do que ontem, já que ultrapassou a barreira dos 2212. No total, regista 50 299 casos desde o início da pandemia. Os casos confirmados distribuem-se pelas faixas etárias dos 20 aos 59 anos, embora as mortes atinjam sobretudo a faixa etária com mais de 80 anos.

A região de Lisboa e Vale do Tejo, que tem o maior número de casos desde a pandemia, 52 832, registou este domingo 927 casos positivos. O Centro teve mais 290 casos, totalizando agora 9951 casos de covid-19.

Segue-se o Algarve, com mais 42 casos hoje, e 2469 no total, e o Alentejo, mais 44 hoje e 2412 na totalidade.

A assinalar no Boletim Epidemiológico diário da Direção-Geral da Saúde o número de internamentos em enfermaria e nas Unidades de Cuidados de Intensivos. A 25 de outubro, no país estão internados 1574 doentes em enfermarias, mais 119 do no dia 24, e 230 em UCI, mais nove do no sábado

Ao mesmo tempo subiu também o número de pessoas em vigilância, devido a isolamento profilático, para 58 749, mais 1725 pessoas.

Os arquipélagos da Madeira e dos Açores continuam a ser as regiões mais poupadas à pandemia. A Madeira regista um total de 383 casos, mais 11 do que no sábado, e os Açores 340, mais dois do que nas últimas 24 horas.

Um dia mais brando para finalizar a semana em que Portugal ultrapassou, por duas vezes, os três mil casos, registando, no sábado, dia 24, o maior número de sempre. O número de internados em enfermaria e em unidades de cuidados intensivos mantém hoje a tendência de aumento que vem a registar há mais de duas semanas.

A região Norte também continua a ser a mais afetada em números de casos diários, tal como nas últimas semanas. Mas no sábado ultrapassou a barreira dos dois mil casos, 2212, mantendo vários concelhos, como Felgueiras, Lousada e Paços de Ferreira, ainda em situação de elevado risco de transmissão.

O pneumologista Filipe Froes referiu ontem ao DN que a situação vivida agora no Norte chegará ao resto do país, sobretudo às áreas metropolitanas, "Lisboa e Vale do Tejo terá o seu momento", disse, sublinhando que quando "há atividade viral numa região o problema é de todos, de todo o país".

O primeiro-ministro António Costa defendeu no sábado que passar o país para o estado de emergência "seria prematuro", considerando que o estado de contingência em que estamos é o adequado.

De acordo com um balanço hoje divulgado pela Agência France Press, a pandemia do novo coronavírus já fez 1 151 077 mortos desde que começou no fim de dezembro de 2019 na China.

Os casos diagnosticados oficialmente de infeção pelo SARS CoV-2 ascendem a 42 694 790, dos quais 28 991 400 foram dados como recuperados, embora estes números não reflitam a totalidade do número real de contágios, uma vez que alguns países apenas fazem testes aos casos graves de covid-19, enquanto outros têm menos capacidade de testagem.

Nas últimas 24 horas, registaram-se 466 838 casos em todo o mundo e 5765 pessoas com covid-19 morreram.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG