Kits de emergência: demitiu-se adjunto do secretário de Estado da Proteção Civil

Francisco Ferreira deixou o cargo devido ao envolvimento na escolha das empresas para a produção dos "kits" de emergência para o programa "Aldeias Seguras"

O técnico Francisco Ferreira, adjunto do secretário de Estado da Proteção Civil, demitiu-se hoje, após ter sido noticiado o seu envolvimento na escolha das empresas para a produção dos 'kits' de emergência para o programa "Aldeias Seguras".

O Jornal de Noticias tinha escrito esta segunda-feira que o adjunto tinha recomendado os nomes das empresas que deviam ser consultadas para o fornecimento de 70 mil golas antifumo inflamáveis, 15 mil 'kits' de emergência com materiais combustíveis e panfletos entregues às 1909 povoações abrangidas pelo programa "Aldeias Seguras".

Francisco Ferreira foi nomeado em dezembro de 2017 pelo secretário de Estado da Proteção Civil, Artur Neves, como técnico especialista. Tem como habilitações académias o 12º ano e, segundo o JN antes de integrar o gabinete exercia a profissão de padeiro numa pastelaria em Vila Nova de Gaia, propriedade do irmão.

Nenhuma destas empresas que indicou é conhecida no setor da emergência - entre elas há uma de bordados, outra de confeções de roupa e outra ainda de eletrodomésticos.

Como é já sabido, os contratos foram para duas das empresas da lista, com ligações ao PS: "Foxtrot Aventuras", uma empresa propriedade do marido de uma autarca do PS de Guimarães, e para a "Brain One", a qual, conta o JN, tem há vários anos adjudicações da Câmara de Arouca, onde o secretário de Estado da Proteção Civil, Artur Neves, era o presidente antes de ir para o governo.

É a segunda vez este ano que o gabinete de Artur Neves, se vê envolvido em controvérsia. Em maio passado o chefe de gabinete foi obrigado a demitir-se depois de ter sido constituído arguido, por ser suspeito de fraude na obtenção de fundos da União Europeia.

No sábado, o ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, mandou abrir um inquérito urgente sobre contratação de material de sensibilização para incêndios, na sequência de notícias sobre golas antifumo com material inflamável distribuídas no âmbito do programa "Aldeias Seguras".

Exclusivos

Premium

Espanha

Bolas de aço, berlindes, fisgas e ácido. Jovens lançaram o caos na Catalunha

Eram jovens, alguns quase adultos, outros mais adolescentes, deixaram a Catalunha em estado de sítio. Segundo a polícia, atuaram organizadamente e estavam bem treinados. José Manuel Anes, especialista português em segurança e criminalidade, acredita que pertenciam aos grupos anarquistas que têm como causa "a destruição e o caos" e não a luta independentista.