Jornalista Carlos Daniel deixa a Federação Portuguesa de Futebol e regressa à RTP

O jornalista tinha pedido licença sem vencimento para colaborar com a Federação Portuguesa de Futebol na criação do seu canal televisivo.

O jornalista Carlos Daniel, que tinha pedido uma licença sem vencimento para 2019 para colaborar com a Federação Portuguesa de Futebol (FPF), pediu para regressar à RTP, confirmou à Lusa fonte da empresa.

Carlos Daniel tinha pedido no ano passado uma licença sem vencimento para colaborar com a FPF no lançamento de um canal de televisão que dará pelo nome de 11.

Contactada pela Lusa, fonte oficial da RTP confirmou que a empresa "recebeu o pedido do jornalista Carlos Daniel para terminar a licença sem vencimento e regressar" à estação pública.

"A administração confirma o regresso do jornalista, que assim continuará a contribuir para a valorização do serviço público prestado pela RTP", afirmou a mesma fonte, escusando-se a adiantar mais pormenores.

A 9 de janeiro, a RTP tinha assinado um memorando de entendimento com a FPF, cuja cessação foi anunciada em 19 de março, pela Federação Portuguesa de Futebol, devido à polémica em torno do mesmo, que levou o Governo a questionar o Conselho de Administração da estação pública sobre o assunto.

Em 26 de março, a ministra da Cultura, Graça Fonseca, disse, durante uma audição parlamentar, que o Governo ainda não tinha tomado posição sobre este tema. "Só depois desta análise é que iremos ter uma posição sobre se as respostas" vão ou não ao encontro da informação solicitada, acrescentou, na altura, a governante.

Em 22 de março, no âmbito de um comunicado do Conselho Geral Independente (CGI), órgão que supervisiona o Conselho de Administração da RTP, tinham sido divulgadas as respostas enviadas ao Governo.

A administração da RTP "refuta veementemente", numa resposta enviada aos ministros da Cultura e das Finanças, que o memorando com a FPF desse vantagens ao novo canal privado em detrimento de outros.

A RTP referiu ainda que na celebração do memorando "esteve sempre presente a valorização do serviço público e cumprimento das missões que lhe estão cometidas", sendo que o principal objetivo "era ter a possibilidade de aceder a conteúdos da FPF" para transmitir nos canais públicos.

Previa também a cedência temporária de trabalhadores "sempre que fosse do seu interesse, mediante enquadramento legal adequado", lê-se na resposta.

Exclusivos

Premium

Nuno Severiano Teixeira

"O soldado Milhões é um símbolo da capacidade heroica" portuguesa

Entrevista a Nuno Severiano Teixeira, professor catedrático na Universidade Nova de Lisboa e antigo ministro da Defesa. O autor de The Portuguese at War, um livro agora editado exclusivamente em Inglaterra a pedido da Sussex Academic Press, fala da história militar do país e da evolução tremenda das nossas Forças Armadas desde a chegada da democracia.

Premium

Ferreira Fernandes

A angústia de um espanhol no momento do referendo

Fernando Rosales, vou começar a inventá-lo, nasceu em Saucelle, numa margem do rio Douro. Se fosse na outra, seria português. Assim, é espanhol. Prossigo a invenção, verdadeira: era garoto, os seus pais levaram-no de férias a Barcelona. Foram ver um parque. Logo ficou com um daqueles nomes que se transformam no trenó Rosebud das nossas vidas: Parque Güell. Na verdade, saberia só mais tarde, era Barcelona, toda ela.

Premium

Maria Antónia de Almeida Santos

Dos pobres também reza a história

Já era tempo de a humanidade começar a atuar sem ideias preconcebidas sobre como erradicar a pobreza. A atribuição do Prémio Nobel da Economia esta semana a Esther Duflo, ao seu marido Abhijit Vinaayak Banerjee e a Michael Kremer, pela sua abordagem para reduzir a pobreza global, parece indicar que estamos finalmente nesse caminho. Logo à partida, esta escolha reforça a noção de que a pobreza é mesmo um problema global e que deve ser assumido como tal. Em seguida, ilustra a validade do experimentalismo na abordagem que se quer cada vez mais científica às questões económico-sociais. Por último, pela análise que os laureados têm feito de questões específicas e precisas, temos a demonstração da importância das políticas económico-financeiras orientadas para as pessoas.