Irmão da guia turística que ficou ferida: "O importante é que esteja viva e a recuperar"

Carlota Gomes está fora de perigo. A identificação das 29 vítimas mortais ainda está a decorrer. Foi solicitado apoio ao Instituto de Medicina Legal que enviou uma equipa para colaborar na realização das autópsias, a fim de acelerar o processo.

Quando começou a ver as primeiras notícias sobre o autocarro que se despenhou esta quarta-feira na Madeira e que provocou 29 mortos, Pedro Mendes Gomes não sabia que a irmã estava entre as vítimas. Soube através de um amigo que Carlota Gomes era a guia que acompanha o grupo de alemães. "E foi aí que começou o alvoroço. Foi um susto muito grande", disse ao DN. A rapariga, de 32 anos, passou por "momentos complicados", mas encontra-se "estável e consciente".

Carlota Gomes deu entrada no Hospital Dr. Nélio Mendonça com "uma fratura exposta no fémur e problemas no baço", tendo sido submetida a uma intervenção cirúrgica. Passou pelos cuidados intensivos, mas já se encontra fora de perigo. "Terá que ser submetida a novas cirurgias por causa da perna. Agora é recuperar", afirmou Pedro Gomes.

A família falou com a jovem ao telefone, mas não abordou o assunto do acidente. "Porque pode ser traumático para ela. O importante é que esteja viva e a recuperar", frisou o irmão. Segundo Pedro Gomes, Carlota trabalha na agência Travel One pelo menos há três anos e faz alguns serviços de guia, mas o seu trabalho é sobretudo fazer o agenciamento de grupos estrangeiros. "Não é um trabalho que faça diariamente. Ontem foi de guia no autocarro, porque era o grupo dela".

Carlota está entre as 28 feridos que deram entrada no Hospital Dr. Nélio Mendonça, na quarta-feira, na sequência do acidente com um autocarro que transportava turistas alemães em Santa Cruz, na Madeira. De acordo com a última atualização feita pelo Serviço de Saúde da Região Autónoma da Madeira (SESARAM), oito já tiveram alta, quatro mantêm-se nos cuidados intensivos e os restantes dividem-se pelos serviços de urgência, ortopedia e cuidados intermédios.

Segundo a mesma fonte, "cinco vítimas foram submetidas a intervenções cirúrgicas no âmbito da especialidade de ortopedia e cirurgia geral (duas portuguesas e três estrangeiras)", estando prevista para o dia de hoje uma intervenção cirúrgica numa vítima de nacionalidade estrangeira.

Neste momento, estão confirmadas 29 vítimas mortais, todas de nacionalidade estrangeira: 17 do sexo feminino e 12 do sexo masculino. Sabe-se que tinham entre 40 e 60 anos, mas ainda não há, no entanto, mais informações, uma vez que a identificação dos cadáveres ainda está a decorrer.

Devido ao elevado número de vítimas mortais, o SESARAM adiantou que "foi solicitado apoio ao Instituto de Medicina Legal que enviou uma equipa para colaborar na realização das autópsias para que os cadáveres sejam mais rapidamente possível identificados e para que seja permitida a sua transladação para o país de origem".

Motorista livre de perigo

Segundo o DN Madeira, o motorista que conduziu o autocarro, José Guilherme de Sousa, também foi submetido a uma intervenção cirúrgica e continua internado no hospital do Funchal, porém, livre de perigo.

Soube-se, entretanto, que o motorista, de 55 anos, não tinha ingerido bebidas alcoólicas, uma vez que a análise ao sangue deu um resultado negativo.

De acordo com a mesma fonte, o idoso proprietário da casa afetada será realojado, provisoriamente, numa pensão pela Secretaria Regional da Inclusão e Assuntos Sociais, através do Instituto de Segurança Social da Madeira (ISSM, IP-RAM).

Em declarações à Lusa, o primeiro-ministro disse esta quarta-feira que a prioridade é tratar dos feridos, assegurar rápida assistência às famílias das vítimas e esclarecer as causas do acidente."Quero expressar relativamente à Região Autónoma da Madeira, como já tive a oportunidade de transmitir à chanceler [alemã] Angela Merkel, a nossa solidariedade e o nosso pesar por este trágico acidente, cujas causas importa apurar, mas que, seguramente - temos de compreender -, não mancham o prestígio internacional da Madeira como grande destino turístico", salientou ainda o líder do executivo.

Entretanto, o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, falou esta quinta-feira de manhã com o seu homólogo alemão, Frank-Walter Steinmeier, e anunciou que vai deslocar-se ao Funchal na sexta-feira.

Atendendo ao elevado número de pessoas afetadas pelo acidente, os serviços de saúde da Madeira anunciaram o reforço das equipas de médicos, assistentes sociais, psiquiatras, psicólogos, enfermeiros, técnicos de diagnóstico e terapêutica, Além disso, foram mobilizados os responsáveis da agência, tradutores e o Serviço de Estrangeiros e Fronteiras para o Hospital para prestar o apoio necessário.

O chefe de gabinete da chanceler alemã, Angela Merkel, disse que um avião com apoio médico está pronto para voar para a Madeira com a missão de transportar para a Alemanha os afetados pelo acidente.

Exclusivos

Premium

EUA

Elizabeth Warren tem um plano

Donald Trump continua com níveis baixos de aprovação nacional, mas capacidade muito elevada de manter a fidelidade republicana. A oportunidade para travar a reeleição do mais bizarro presidente que a história recente da América revelou existe: entre 55% e 60% dos eleitores garantem que Trump não merece segundo mandato. A chave está em saber se os democratas vão ser capazes de mobilizar para as urnas essa maioria anti-Trump que, para já, é só virtual. Em tempos normais, o centrismo experiente de Joe Biden seria a escolha mais avisada. Mas os EUA não vivem tempos normais. Kennedy apontou para a Lua e alimentava o "sonho americano". Obama oferecia a garantia de que ainda era possível acreditar nisso (yes we can). Elizabeth Warren pode não ter ambições tão inspiradoras - mas tem um plano. E esse plano da senadora corajosa e frontal do Massachusetts pode mesmo ser a maior ameaça a Donald Trump.