Troço do IP4 reaberto ao trânsito após corte devido a incêndio

Depois de quase quatro horas cortado, troço foi reaberto perto das 20.00

O Itinerário Principal (IP4), que liga Amarante a Vila Real, em Trás os Montes, foi reaberto à circulação pelas 20:00, após ter estado cortado ao trânsito durante quatro horas devido a um incêndio florestal, indicou a GNR.

"Foi restabelecida a circulação de trânsito nos dois sentidos do IP4 às 19:59", disse à agência Lusa fonte do Comando-Geral da GNR.

O IP4 esteve encerrado ao trânsito, nos dois sentidos, entre o quilómetro 62,8 e o 67,1 devido a um incêndio florestal.

Segundo a GNR, aquele troço do IP4 que liga Amarante a Aboadela foi cortado cerca das 16:00, aquando da deflagração do incêndio.

Segundo a página da internet da Proteção Civil, o incêndio, que deflagrou em Amarante, às 14:41, e que consumiu uma área de mato, está em fase de conclusão.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Margarida Balseiro Lopes

Falta (transparência) de financiamento na ciência

No início de 2018 foi apresentado em Portugal um relatório da OCDE sobre Ensino Superior e a Ciência. No diagnóstico feito à situação portuguesa conclui-se que é imperativa a necessidade de reformar e reorganizar a Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT), de aumentar a sua capacidade de gestão estratégica e de afastar o risco de captura de financiamento por áreas ou grupos. Quase um ano depois, relativamente a estas medidas que se impunham, o governo nada fez.

Premium

Opinião

Angola, o renascimento de uma nação

A guerra do Kosovo foi das raras seguras para os jornalistas. Os do poder, os kosovares sérvios, não queriam acirrar ainda mais a má vontade insana que a outra Europa e a América tinham contra eles, e os rebeldes, os kosovares muçulmanos, viam nas notícias internacionais o seu abono de família. Um dia, 1998, 1999, não sei ao certo, eu e o fotógrafo Luís Vasconcelos íamos de carro por um vale ladeado, à direita, por colinas - de Mitrovica para Pec, perto da fronteira com o Montenegro. E foi então que vi a esteira de sucessivos fumos, adiantados a nós, numa estrada paralela que parecia haver nas colinas.