Trabalhadores dos autocarros TST suspendem greve

Empresa garante aumento dos ordenados, primeiro para 685 euros e depois para 700. Negociações vão continuar.

Os trabalhadores da empresa Transportes Sul do Tejo (TST) suspenderam a greve de 48 horas que tinha começado às 03.00 desta terça-feira. A decisão foi tomada durante um plenário que decorreu nesta manhã e anunciada por João Saúde, da Fectrans.

Segundo o dirigente da Federação dos Sindicatos de Transportes e Comunicações, os trabalhadores aceitaram a proposta da empresa de aumento dos salários em julho e agosto para 685 euros, valor que passará para os 700 euros entre setembro e novembro. Vão, entretanto, manter-se as negociações com a empresa pois há outras matérias que os funcionários da empresa querem ver discutidas.

A suspensão do protesto aconteceu depois de nas primeiras horas de greve se ter registado uma adesão de 95% dos trabalhadores, segundo os dados anunciados pela Fectrans às 10.00. Segundo esta federação foram suprimidas as ligações "a Lisboa e também entre as localidades de todo o distrito de Setúbal, onde opera a TST. Andam aí meia dúzia de motoristas a trabalhar, que são os que são contratados a prazo e que entraram recentemente".

Desde há quatro meses que os funcionários estavam a cumprir dois dias de paralisação por mês.

Em maio a administração propôs um aumento para 685 euros e a implementação de um sistema de folgas rotativas, mas os trabalhadores consideraram as medidas insuficientes.

Ler mais

Exclusivos