Taxista detido por usar telecomando para fazer subir o preço da corrida

A PSP revelou, em comunicado, que o homem de 33 anos será agora julgado em processo sumário, sendo acusado de especulação

A PSP deteve esta terça-feira, na freguesia de São Domingos de Benfica, em Lisboa, um taxista, de 33 anos, por usar um telecomando para aumentar o preço da corrida no taxímetro, sendo por isso acusado pelo crime de especulação.

A denúncia foi feita por um cliente que se queixou de ter sido cobrado um valor manifestamente superior ao habitual. Ou seja, em vez de pagar entre oito a dez euros, o taxímetro marcava 16,55 euros.

Segundo um comunicado da PSP, os agentes detetaram no veículo um sistema de telecomando ligado ao taxímetro, que "ao premir o botão superior do lado esquerdo, fazia aumentar o valor ostentado no mostrador, tendo assim obtido benefício ilegítimo".

Depos de identificada a queixosa, o veículo de taxi foi apreendido, tendo o taxista sido detido e notificado para comparecer no Tribunal Judicial da Comarca de Lisboa para julgamento em processo sumário.

Ler mais

Premium

João Gobern

País com poetas

Há muito para elogiar nos que, sem perspectivas de lucro imediato, de retorno garantido, de negócio fácil, sabem aproveitar - e reciclar - o património acumulado noutras eras. Ora, numa fase em que a Poesia se reergue, muitas vezes por vias "alternativas", de esquecimentos e atropelos, merece inteiro destaque a iniciativa da editora Valentim de Carvalho, que decidiu regressar, em edições "revistas e aumentadas", ao seu magnífico espólio de gravações de poetas. Originalmente, na colecção publicada entre 1959 e 1975, o desafio era grande - cabia aos autores a responsabilidade de dizerem as suas próprias criações, acabando por personalizá-las ainda mais, injectando sangue próprio às palavras que já antes tinham posto ao nosso dispor.