PSP captura suspeito de raptar e violar menina de 7 anos no Seixal

O homem, de 39 anos, já foi entregue à Polícia Judiciária, que conduz a investigação. Esta tarde estava a ser interrogado pelos inspetores da Unidade Nacional de Contraterrorismo, na sede desta polícia

O suspeito de raptar e violar uma criança de sete anos no Seixal, no sábado passado, foi capturado. Um residente avistou o homem e avisou a PSP que enviou logo ao local uma equipa de intervenção rápida. O suspeito estava junto à Quinta da Princesa, no Seixal, perto de um supermercado. Não ofereceu resistência, segundo confirmou ao DN fonte policial.

"Recebemos a comunicação para a esquadra da Cruz de Pau de um cidadão que teria visualizado o suspeito, cerca das 09:40. Fomos para o local e, a cerca de 500 metros do sítio que nos tinham indicado, localizámos o suspeito, pedimos a sua identificação e confirmámos que era o indivíduo", explicou a comissária da PSP de Setúbal, comissária Viola.

O suspeito ficou detido na esquadra da PSP da Cruz de Pau mas ao final da manhã foi entregue à Polícia Judiciária (PJ), que está a conduzir a investigação, uma vez que os crimes em causa - rapto e violação - são da sua competência. Esta tarde estava a ser interrogado pelos inspetores da Unidade Nacional de Contraterrorismo, na sede desta polícia

Fonte da PSP disse ao DN que a detenção tinha sido comunicada já ao Ministério Público (MP) e que era este que iria indicar para onde levar o homem. Na base de dados desta força de segurança não há registos nem antecedentes criminais do suspeito, segundo a mesma fonte.

A criança estava a brincar num parque infantil com dois primos mais velhos, de 8 e 9 anos, no sábado, quando foi levada. Foi encontrada por um popular na madrugada de domingo, cerca das cinco da manhã. Na altura foi entregue à PSP e levada ao hospital para fazer exames médicos que confirmaram que tinha sofrido a violação.

De acordo com fonte que está a acompanhar a investigação, o suspeito já tinha abordado há duas semanas outra menina na mesma zona, mas foi apanhado a tempo por residentes, tendo até sido agredido por familiares da criança. No entanto, nenhuma queixa chegou à polícia na altura.

Foi, porém, este incidente de há duas semanas que permitiu à PJ conseguir identificar o suspeito. As descrições destas pessoas coincidiram com as da menina e dos seus primos. Em poucas horas os inspetores da PJ tinham chegado à fala com familiares do homem e obtido uma fotografia que foi distribuída pelos investigadores e pelos agentes da PSP que integraram as equipas de captura.

O homem, de 39 anos, será amanhã, quarta-feira, presente a um juiz de instrução criminal do Seixal.

(Atualizada às 18:25)

Ler mais

Premium

robótica

Quando os robôs ajudam a aprender Estudo do Meio e Matemática

Os robôs chegaram aos jardins-de-infância e salas de aula de todo o país. Seja no âmbito do projeto de robótica do Ministério da Educação, da iniciativa das autarquias ou de outros programas, já há dezenas de milhares de crianças a aprender os fundamentos básicos da programação e do pensamento computacional em Portugal.

Premium

Anselmo Borges

"Likai-vos" uns aos outros

Quem nunca assistiu, num restaurante, por exemplo, a esta cena de estátuas: o pai a dedar num smartphone, a mãe a dedar noutro smartphone e cada um dos filhos pequenos a fazer o mesmo, eventualmente até a mandar mensagens uns aos outros? É nisto que estamos... Por isso, fiquei muito contente quando, há dias, num jantar em casa de um casal amigo, reparei que, à mesa, está proibido o dedar, porque aí não há telemóvel; às refeições, os miúdos adolescentes falam e contam histórias e estórias, e desabafam, e os pais riem-se com eles, e vão dizendo o que pode ser sumamente útil para a vida de todos... Se há visitas de outros miúdos, são avisados... de que ali os telemóveis ficam à distância...

Premium

João César das Neves

Donos de Portugal

A recente polémica dos salários dos professores revela muito do nosso carácter político e cultural. A OCDE, no habitual "Education at a Glance", apresenta comparações de indicadores escolares, incluindo a remuneração dos docentes. O estudo é reservado, mas a sua base de dados é pública e inclui dados espantosos, que o professor Daniel Bessa resumiu no Expresso de dia 15: "Com um salário que é cerca de 40% do finlandês, 45% do francês, 50% do italiano e 60% do espanhol, o português médio paga de impostos tanto como os cidadãos destes países (a taxas de tributação que, portanto, se aproximam do dobro) para que os salários dos seus professores sejam iguais aos praticados nestes países."