Serviços mínimos estão a ser cumpridos. Governo mantém os termos da requisição civil

Ministro tinha admitido o alargamento das medidas impostas, mas após avaliação decidiu não o fazer, por os serviços mínimos terem sido "genericamente cumpridos".

O balanço do governo realizado esta quarta-feira às 19:00 conclui que os serviços mínimos "foram genericamente cumpridos", pelo que os termos da requisição civil não serão alterados, segundo comunicado do ministro do Ambiente enviado às redações.

Esta manhã, o ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva, afirmou que um eventual incumprimento dos serviços mínimos, como ameaçado pelo sindicato, obrigaria o Governo alargar a requisição civil.

O comunicado do gabinete de João Pedro Matos Fernandes esclare que "os únicos casos de incumprimento dos serviços mínimos registados prendem-se com o transporte de JET para os aeroportos de Lisboa e de Faro, situações que já estão abrangidas pela requisição civil em vigor", acrescentado que "18 equipas das Forças de Segurança e das Forças Armadas estão a fazer o transporte de combustível para o aeroporto de Lisboa e seis equipas da GNR a fazer serviço idêntico para o aeroporto de Faro".

Não há assim necessidade de alterar os termos da requisição civil atualmente em vigor.

Exclusivos

Premium

história

A América foi fundada também por angolanos

Faz hoje, 25 de agosto, exatos 400 anos que desembarcaram na América os primeiros negros. Eram angolanos os primeiros 20 africanos a chegar à América - a Jamestown, colónia inglesa acabada se ser fundada no que viria a ser o estado da Virgínia. O jornal The New York Times tem vindo a publicar uma série de peças jornalísticas, inseridas no Project 1619, dedicadas ao legado da escravatura nos Estados Unidos. Os 20 angolanos de Jamestown vinham num navio negreiro espanhol, a caminho das minas de prata do México; o barco foi apresado por piratas ingleses e levados para a nova Jamestown. O destino dos angolanos acabou por ser igual ao de muitos colonos ingleses: primeiro obrigados a trabalhar como contratados e, ao fim de alguns anos, livres e, por vezes, donos de plantações. Passados sete anos, em 1626, chegaram os primeiros 11 negros a Nova Iorque (então, Nova Amesterdão) - também eram angolanos. O Jornal de Angola publicou ontem um longo dossiê sobre estes acontecimentos que, a partir de uma das maiores tragédias da História moderna, a escravatura, acabaram por juntar o destino de dois países, Angola e Estados Unidos, de dois continentes distantes.