Seis feridos com queimaduras, dois graves, em fogo em Estremoz

As duas vítimas em estado grave são duas jovens de 20 e 25 anos, que foram transportadas de helicóptero para Lisboa

Seis pessoas ficaram este sábado feridas, duas delas em estado grave, ao sofrerem queimaduras num incêndio na zona de São Bento do Cortiço, no concelho de Estremoz. As duas vítimas em estado grave são duas jovens de 20 e 25 anos, que foram transportadas de helicóptero para os hospitais de São José e Santa Maria, em Lisboa, revelou o INEM.

Quanto aos quatro feridos considerados ligeiros, segundo a mesma fonte do INEM, são todos homens, com idades entre "os 20 e os 25 anos", transportados para o Hospital do Espírito Santo de Évora (HESE).

Fonte do HESE contactada pela Lusa revelou que, destes quatro feridos, "um já teve alta", outro "aguarda transferência para uma unidade de queimados" numa unidade hospitalar de outra zona do país e "os outros dois vão ser submetidos a cirurgia plástica".

Os seis jovens sofreram "queimaduras" no incêndio rural ocorrido, no sábado, na zona de São Bento do Cortiço, na freguesia de São Bento do Cortiço e Santo Estêvão, no concelho de Estremoz, disse à Lusa o comandante distrital de Évora de Operações de Socorro, José Ribeiro.

Segundo o responsável pelo Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Évora, os feridos, todos civis, encontravam-se no Monte do Cerradinho, próximo do local onde o incêndio começou.

"De acordo com a informação que foi possível apurar, ao tentarem sair de uma habitação", as vítimas "terão sido atingidas pelo incêndio", afirmou o comandante.

A "primeira viatura" dos bombeiros a chegar a local, após o alerta, que foi dado às 18:30, "ainda tentou ir a esta habitação", mas não conseguiu chegar, face à "violência do incêndio", referiu.

"O que tivemos foi um incêndio rural que progrediu com muita violência", devido aos "ventos muito fortes" registados na zona, e que lavrou "numa zona de pasto, mato e olivais, com algumas habitações dispersas", assinalou o comandante José Ribeiro.

As chamas deflagraram na zona do Monte da Chapada, nos arredores de Estremoz (Évora) e foram dominadas já durante a noite, encontrando-se o incêndio em conclusão.

Para o local, foram mobilizados 86 operacionais, apoiados por 29 veículos, dos bombeiros, sapadores florestais, GNR, Serviço Municipal de Proteção Civil e juntas de freguesia do concelho.

"Tivemos ventos fortíssimos em Estremoz, com registo de quedas de árvores" e outras "arrancadas pela raiz", acabando os jovens por ser apanhados devido a "esta violência de propagação", lamentou o comandante.

Ler mais

Exclusivos

Premium

João Gobern

País com poetas

Há muito para elogiar nos que, sem perspectivas de lucro imediato, de retorno garantido, de negócio fácil, sabem aproveitar - e reciclar - o património acumulado noutras eras. Ora, numa fase em que a Poesia se reergue, muitas vezes por vias "alternativas", de esquecimentos e atropelos, merece inteiro destaque a iniciativa da editora Valentim de Carvalho, que decidiu regressar, em edições "revistas e aumentadas", ao seu magnífico espólio de gravações de poetas. Originalmente, na colecção publicada entre 1959 e 1975, o desafio era grande - cabia aos autores a responsabilidade de dizerem as suas próprias criações, acabando por personalizá-las ainda mais, injectando sangue próprio às palavras que já antes tinham posto ao nosso dispor.