Resgatado tripulante de navio com sintomas de AVC ao largo do Funchal

Embarcação da Libéria tinha enviado um pedido de ajuda médica

Um tripulante de um navio de carga que se encontra ao largo do Funchal, na Madeira, foi hoje resgatado, depois de as autoridades terem recebido um pedido de ajuda médica, disse fonte do Centro Coordenador de Busca e Salvamentos Marítimos.

Segundo adiantou a mesma fonte à agência Lusa, o pedido foi feito cerca das 22:30 de sábado, mas, devido ao estado do mar e por o navio, de bandeira da Libéria, não estar ao largo do Funchal, só hoje ficaram reunidas as condições para resgate do homem de 55 anos, com sintomas de AVC (Acidente Vascular Cerebral).

De acordo com a mesma fonte, o navio esteve "toda a noite a navegar para se aproximar da costa", de modo a ficarem reunidas as condições para que se possa fazer o resgate através de uma lancha de apoio a náufragos, já que as ondas rondam "agora os quatro metros".

O arquipélago da Madeira encontra-se, até segunda-feira, sob aviso amarelo para a costa sul, e aviso laranja para a costa norte e ilha do Porto Santo, devido à forte agitação marítima.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Brexit

"Não penso que Theresa May seja uma mulher muito confiável"

O diretor do gabinete em Bruxelas do think tank Open Europe afirma ao DN que a União Europeia não deve fechar a porta das negociações com o Reino Unido, mas considera que, para tal, Theresa May precisa de ser "mais clara". Vê a possibilidade de travar o Brexit como algo muito remoto, de "hipóteses muito reduzidas", dependente de muitos fatores difíceis de conjugar.

Premium

Pedro Lains

"Gilets jaunes": se querem a globalização, alguma coisa tem de ser feita

Há muito que existe um problema no mundo ocidental que precisa de uma solução. A globalização e o desenvolvimento dos mercados internacionais trazem benefícios, mas esses benefícios tendem a ser distribuídos de forma desigual. Trata-se de um problema bem identificado, com soluções conhecidas, faltando apenas a vontade política para o enfrentar. Essa vontade está em franco desenvolvimento e esperemos que os recentes acontecimentos em França sejam mais uma contribuição importante.