PSP: finalmente Lisboa tem um comandante do topo da carreira

O Comando Metropolitano de Lisboa da PSP - o maior do país com mais de sete mil polícias - teve durante cinco anos um superintendente a dirigi-lo, posto abaixo do previsto na lei

O comandante da PSP de Lisboa foi promovido a superintendente-chefe - o topo da carreira - cinco anos depois de ter sido nomeado para um cargo que a lei orgânica desta força de segurança prevê que seja ocupado por um oficial com esta categoria.

Jorge Maurício, 52 anos, que comanda mais de sete mil polícias, foi nomeado para o Comando Metropolitano de Lisboa (COMETLIS) em dezembro de 2013 pelo ex-ministro da Administração Interna, Miguel Macedo, e foi o primeiro classificado no último concurso para preencher a única vaga aberta para este posto.

A sua promoção para o topo da hierarquia foi publicada em Diário da República no passado dia 29 de novembro. A lista da classificação final foi homologada pelo Diretor Nacional da PSP, Luís Farinha, em abril último.

Atualmente existem 13 superintendentes-chefes na PSP, o equivalente a tenentes-generais na GNR - mas no caso da Guarda oficiais do Exército. Na PSP, Jorge Maurício, bem como todos os outros oficiais de topo são formados pelo Instituto Superior de Ciências Policiais, a academia da PSP.

Além de Lisboa, os comandos do Porto, Açores e Madeira também devem ser ocupados por superintendentes-chefes. Neste momento só o Porto é comandado por um oficial do topo da carreira, o superintendente-chefe Paulo Lucas.

Antes de assumir a direção do COMETLIS Jorge Maurício comandou a PSP distrital de Faro. Foi três anos (entre 2009 e 2012) oficial de ligação do ministério da Administração Interna junto da Embaixada de Portugal em Cabo Verde, onde onde fez parte da equipa que produziu o Plano Estratégico do Ministério da Administração Interna de Cabo Verde, no âmbito do Projeto de Cooperação Técnico Policial com Cabo Verde.

Desempenhou, entre outras, as funções de Diretor do Departamento de Recursos Humanos da PSP; Chefe de Divisão de Planeamento e Estatística no Departamento de Saúde e Assistência na Doença da PSP; Comandante Distrital da PSP de Beja; Comandante Distrital do Comando Equiparado da PSP da Horta; Chefe da Secção de Operações do Comando Distrital da PSP de Setúbal e Comandante Operacional da PSP da Cidade de Setúbal;

Ler mais

Exclusivos

Premium

nuno camarneiro

O Mourinho dos Mourinhos

"Neste país todos querem ser Camões mas ninguém quer ser zarolho", a frase é do Raul Solnado e vem a propósito do despedimento de José Mourinho. Durante os anos de glória todos queriam ser o Mourinho de qualquer coisa, numa busca rápida encontro o "Mourinho da dança", o "Mourinho da política", o "Mourinho da ciência" e até o "Mourinho do curling". Os líderes queriam ter a sua assertividade, os homens a sexyness grisalha e muitas mulheres queriam ter o Mourinho mesmo.