PSP detém homem suspeito de ter agredido ex-mulher à facada em Faro

O homem de 58 anos ficou em prisão preventiva por ter apunhalado cinco vezes a ex-mulher

A PSP deteve na terça-feira, em Faro, um homem suspeito de ter agredido uma ex-mulher à facada, na quinta-feira passada, na capital de distrito, anunciou a força de segurança.

O detido, com 58 anos, foi já ouvido em primeiro interrogatório judicial e foi-lhe aplicada a prisão preventiva, a medida de coação mais gravosa, frisou o Comando Distrital de Faro da PSP num comunicado.

A mesma fonte referiu que o crime ocorreu cerca das 13:00 de quinta-feira da semana passada, quando o suspeito "desferiu cinco facadas na zona lombar da vítima, quando esta descia as escadas do prédio de habitação" onde morava.

Os gritos e pedidos de socorro da mulher foram ouvidos por um transeunte e o agressor, ao dar-se conta da sua presença, fugiu do local, precisou a PSP, frisando que essa pessoa ainda "auxiliou ainda a vítima, num primeiro momento, e ativou telefonicamente os meios de socorro e de polícia".

Apesar do dispositivo policial colocado no terreno, as autoridades não conseguiram intercetar logo o autor do crime, que acabou por ser detido na terça-feira, "na sequência de uma investigação relâmpago desenvolvida pela Esquadra de Investigação Criminal" da PSP de Faro, destacou o Comando Distrital de Faro.

A PSP sublinhou ainda a "pertinência da participação da comunidade na partilha e comunicação de situações criminais" para permitir um combate mais eficaz do crime e a detenção dos autores.

A polícia anunciou também hoje, no distrito de Faro, a detenção de um jovem de 20 anos por suspeita de tráfico de droga, depois de ter sido encontradas no seu domicílio 94 doses de haxixe, cerca de 50 euros e material utilizado para o acondicionamento e comercialização do estupefaciente.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Ricardo Paes Mamede

Legalização da canábis, um debate sóbrio 

O debate público em Portugal sobre a legalização da canábis é frequentemente tratado com displicência. Uns arrumam rapidamente o assunto como irrelevante; outros acusam os proponentes de usarem o tema como mera bandeira política. Tais atitudes fazem pouco sentido, por dois motivos. Primeiro, a discussão sobre o enquadramento legal da canábis está hoje em curso em vários pontos do mundo, não faltando bons motivos para tal. Segundo, Portugal tem bons motivos e está em boas condições para fazer esse caminho. Resta saber se há vontade.

Premium

nuno camarneiro

É Natal, é Natal

A criança puxa a mãe pela manga na direcção do corredor dos brinquedos. - Olha, mamã! Anda por aqui, anda! A mãe resiste. - Primeiro vamos ao pão, depois logo se vê... - Mas, oh, mamã! A senhora veste roupas cansadas e sapatos com gelhas e calos, as mãos são de empregada de limpeza ou operária, o rosto é um retrato de tristeza. Olho para o cesto das compras e vejo latas de atum, um quilo de arroz e dois pacotes de leite, tudo de marca branca. A menina deixa-se levar contrariada, os olhos fixados nas cores e nos brilhos que se afastam. - Depois vamos, não vamos, mamã? - Depois logo se vê, filhinha, depois logo se vê...