PSP detém homem suspeito de ter agredido ex-mulher à facada em Faro

O homem de 58 anos ficou em prisão preventiva por ter apunhalado cinco vezes a ex-mulher

A PSP deteve na terça-feira, em Faro, um homem suspeito de ter agredido uma ex-mulher à facada, na quinta-feira passada, na capital de distrito, anunciou a força de segurança.

O detido, com 58 anos, foi já ouvido em primeiro interrogatório judicial e foi-lhe aplicada a prisão preventiva, a medida de coação mais gravosa, frisou o Comando Distrital de Faro da PSP num comunicado.

A mesma fonte referiu que o crime ocorreu cerca das 13:00 de quinta-feira da semana passada, quando o suspeito "desferiu cinco facadas na zona lombar da vítima, quando esta descia as escadas do prédio de habitação" onde morava.

Os gritos e pedidos de socorro da mulher foram ouvidos por um transeunte e o agressor, ao dar-se conta da sua presença, fugiu do local, precisou a PSP, frisando que essa pessoa ainda "auxiliou ainda a vítima, num primeiro momento, e ativou telefonicamente os meios de socorro e de polícia".

Apesar do dispositivo policial colocado no terreno, as autoridades não conseguiram intercetar logo o autor do crime, que acabou por ser detido na terça-feira, "na sequência de uma investigação relâmpago desenvolvida pela Esquadra de Investigação Criminal" da PSP de Faro, destacou o Comando Distrital de Faro.

A PSP sublinhou ainda a "pertinência da participação da comunidade na partilha e comunicação de situações criminais" para permitir um combate mais eficaz do crime e a detenção dos autores.

A polícia anunciou também hoje, no distrito de Faro, a detenção de um jovem de 20 anos por suspeita de tráfico de droga, depois de ter sido encontradas no seu domicílio 94 doses de haxixe, cerca de 50 euros e material utilizado para o acondicionamento e comercialização do estupefaciente.

Exclusivos

Premium

Crónica de Televisão

Os índices dos níveis da cadência da normalidade

À medida que o primeiro dia da crise energética se aproximava, várias dúvidas assaltavam o espírito de todos os portugueses. Os canais de notícias continuariam a ter meios para fazer directos em estações de serviço semidesertas? Os circuitos de distribuição de vox pop seriam afectados? A língua portuguesa resistiria ao ataque concertado de dezenas de repórteres exaustos - a misturar metáforas, mutilar lugares-comuns ou a começar cada frase com a palavra "efectivamente"?

Premium

Margarida Balseiro Lopes

O voluntariado

A voracidade das transformações que as sociedades têm sofrido nos últimos anos exigiu ao legislador que as fosse acompanhando por via de várias alterações profundas à respetiva legislação. Mas há áreas e matérias em que o legislador não o fez e o respetivo enquadramento legal está manifestamente desfasado da realidade atual. Uma dessas áreas é a do voluntariado. A lei publicada em 1998 é a mesma ao longo destes 20 anos, estando assim obsoleta perante a realidade atual.