PSP detém dois militares americanos suspeitos de roubo e agressão

Dois militares da tripulação que acompanha o porta-aviões 'USS Harry S. Truman', fundeado em Lisboa , foram detidos na madrugada desta segunda-feira, por suspeita de agressão e roubo de telemóvel a um taxista

Os dois militares norte-americanos, de 21 e 23 anos, detidos pela PSP pelas 02.00, na Rua da Palma, em Lisboa, são suspeitos de "agredirem e roubarem o telemóvel" ao taxista que os transportou, que teve de receber tratamento hospitalar, segundo a mesma fonte.

Os dois militares foram esta tarde transportados para o Tribunal de Instrução Criminal de Lisboa, no Campus da Justiça, para serem presentes a um juiz.

Fonte judicial disse à Lusa que os dois suspeitos estão acompanhados de um representante da embaixada dos Estados Unidos da América em Lisboa, um advogado e um representante da Marinha Portuguesa.

O porta-aviões 'USS Harry S. Truman' e o 'destroyer' (navio escolta) 'USS Forrest Sherman' estão fundeados no rio Tejo desde sábado, para uma paragem de descanso de quatro dias após meses em missão.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Brexit

"Não penso que Theresa May seja uma mulher muito confiável"

O diretor do gabinete em Bruxelas do think tank Open Europe afirma ao DN que a União Europeia não deve fechar a porta das negociações com o Reino Unido, mas considera que, para tal, Theresa May precisa de ser "mais clara". Vê a possibilidade de travar o Brexit como algo muito remoto, de "hipóteses muito reduzidas", dependente de muitos fatores difíceis de conjugar.

Premium

Pedro Lains

"Gilets jaunes": se querem a globalização, alguma coisa tem de ser feita

Há muito que existe um problema no mundo ocidental que precisa de uma solução. A globalização e o desenvolvimento dos mercados internacionais trazem benefícios, mas esses benefícios tendem a ser distribuídos de forma desigual. Trata-se de um problema bem identificado, com soluções conhecidas, faltando apenas a vontade política para o enfrentar. Essa vontade está em franco desenvolvimento e esperemos que os recentes acontecimentos em França sejam mais uma contribuição importante.