PSD quer ouvir reguladores de transportes sobre CP no parlamento

A bancada parlamentar do PSD apresentou hoje um requerimento na Assembleia da República para ouvir os presidentes Autoridade da Mobilidade e dos Transportes (AMT) e Instituto da Mobilidade e dos Transportes (IMT) sobre a "falência operacional" da CP.

"No sentido de melhor esclarecer e avaliar os factos que parecem apontar para a falência operacional da CP, os deputados do grupo parlamentar do PSD agradecem as diligências necessárias para ouvir nesta comissão, os presidentes das entidades reguladoras, AMT e IMT", lê-se no documento enviado à Comissão Parlamentar de Economia, Inovação e Obras Públicas.

"Enquanto o Governo vai anunciando periodicamente desde fevereiro de 2016, o investimento de milhares de milhões de euros na ferrovia, e se vangloria mesmo do ineditismo em Portugal dessa futura construção de vários quilómetros de ferrovia nova em Portugal, esperando com isso merecer a simpatia dos portugueses, a verdade nua e crua é contudo difundida quase diariamente através da imprensa", criticam os deputados sociais-democratas.

O grupo parlamentar do PSD cita ainda a Unidade Técnica de Apoio Orçamental (UTAO) para sublinhar que, "em 2018, no final do primeiro semestre, a CP tinha utilizado apenas cerca de 10% da verba disponível para investimento e que, já em 2017, tinha aplicado apenas 27% da verba que lhe estava atribuída".

Ler mais

Exclusivos

Premium

João Almeida Moreira

Bolsonaro, curiosidade ou fúria

Perante um fenómeno que nos pareça ultrajante podemos ter uma de duas atitudes: ficar furiosos ou curiosos. Como a fúria é o menos produtivo dos sentimentos, optemos por experimentar curiosidade pela ascensão de Jair Bolsonaro, o candidato de extrema-direita do PSL em quem um em cada três eleitores brasileiros vota, segundo sondagem de segunda-feira do banco BTG Pactual e do Instituto FSB, apesar do seu passado (e presente) machista, xenófobo e homofóbico.

Premium

Rosália Amorim

"Sem emoção não há uma boa relação"

A frase calorosa é do primeiro-ministro António Costa, na visita oficial a Angola. Foi recebido com pompa e circunstância, por oito ministros e pelo governador do banco central e com honras de parada militar. Em África a simbologia desta grande receção foi marcante e é verdadeiramente importante. Angola demonstrou, para dentro e para fora, que Portugal continua a ser um parceiro importante. Ontem, o encontro previsto com João Lourenço foi igualmente simbólico e relevante para o futuro desta aliança estratégica.