Prisão de Pinheiro da Cruz vai inaugurar instalações para visitas íntimas

Seis quatros de visitas íntimas serão inaugurados esta quarta-feira no estabelecimento prisional situado no Carvalhal, concelho de Grândola

O Estabelecimento Prisional de Pinheiro da Cruz, no Carvalhal, concelho de Grândola, vai passar a contar com instalações para visitas íntimas, cuja inauguração vai decorrer esta quarta-feira (20.00), integrada na celebração do 67.º aniversário da prisão.

De acordo com uma nota enviada às redações, as instalações vão incluir seis quartos de visitas íntimas, três gabinetes técnicos, um de controlo e uma sala de espera, que tiveram custos a rondar os 35 mil euros, com o intuito de "o reforçar laços familiares, com os resultados daí decorrentes para a reinserção social e para a preservação da ordem e da disciplina no estabelecimento prisional, e ampliar e modernizar espaços de trabalho".

Os espaços serão inaugurados juntamente com um sistema de videovigilância, numa cerimónia que contará com as presenças da Secretária de Estado da Justiça, Anabela Pedroso, e do Diretor Geral da Direção-Geral de Reinserção e Serviços Prisionais, Celso Manata.

"Sublinha-se que quer a instalação de sistema de CCTV quer a criação de quartos para visitas íntimas se integram num plano nacional que irá prosseguir noutros estabelecimentos prisionais", pode ler-se na nota.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Brexit

"Não penso que Theresa May seja uma mulher muito confiável"

O diretor do gabinete em Bruxelas do think tank Open Europe afirma ao DN que a União Europeia não deve fechar a porta das negociações com o Reino Unido, mas considera que, para tal, Theresa May precisa de ser "mais clara". Vê a possibilidade de travar o Brexit como algo muito remoto, de "hipóteses muito reduzidas", dependente de muitos fatores difíceis de conjugar.

Premium

Pedro Lains

"Gilets jaunes": se querem a globalização, alguma coisa tem de ser feita

Há muito que existe um problema no mundo ocidental que precisa de uma solução. A globalização e o desenvolvimento dos mercados internacionais trazem benefícios, mas esses benefícios tendem a ser distribuídos de forma desigual. Trata-se de um problema bem identificado, com soluções conhecidas, faltando apenas a vontade política para o enfrentar. Essa vontade está em franco desenvolvimento e esperemos que os recentes acontecimentos em França sejam mais uma contribuição importante.