Ponte 25 de Abril vai ser inspecionada com "caráter preventivo" em 2019

A Infraestruturas de Portugal (IP) anunciou hoje a realização de uma inspeção subaquática aos pilares 3 e 4 da Ponte 25 de Abril, que liga Lisboa a Almada, com "caráter preventivo", que decorrerá no segundo trimestre de 2019.

Em comunicado, a IP fez saber que lançou um concurso público para a realização da "inspeção subaquática às zonas de betão imersas dos maciços de fundação dos dois pilares principais da ponte", designadamente os pilares 3 e 4 da Ponte 25 de Abril.

Esta inspeção "tem caráter preventivo e decorrerá no segundo trimestre de 2019, no período do ano em que as condições climatéricas, do estado das marés e força da corrente do rio é mais favorável à execução do trabalho", avançou a IP em comunicado.

Os trabalhos preveem a inspeção subaquática, visual e tátil, documentada com fotografia, vídeo e esquema elucidativo das anomalias para verificação do estado de conservação das superfícies submersas dos maciços de fundação dos pilares 3 e 4 ou em contacto com o leito da linha de água, a realização de levantamento batimétrico e a análise comparativa da situação anterior com a atual, de modo a aferir a evolução das anomalias e as alterações da configuração do leito da linha de água.

"A execução desta inspeção permitirá a recolha de dados e o conhecimento atualizado e detalhado sobre o estado de conservação das superfícies de betão, bem como sobre a configuração do leito do rio em torno desses mesmos maciços", indicou a IP.

Relativamente às obras na Ponte 25 de Abril, o ministro do Planeamento e das Infraestruturas disse, em 12 de novembro, que os trabalhos "começarão em breve, porventura talvez ainda antes do final deste ano", estando a aguardar o visto do Tribunal de Contas.

"Estamos agora a aguardar visto do Tribunal de Contas", afirmou Pedro Marques, na audição conjunta com três comissões parlamentares para debate na especialidade da proposta de Orçamento do Estado para 2019 (OE2019), adiantando que, depois disso, a Ponte 25 de Abril poderá "entrar em fase de obra".

Em 20 de setembro, a IP anunciou que as obras na Ponte 25 de Abril tinham sido adjudicadas por 12,6 milhões de euros ao consórcio composto pelas empresas Somague, Sociedade de Montagens Metalomecânicas e STAP--Reparação, Consolidação e Modificação de Estruturas.

"As intervenções previstas incidem sobre elementos metálicos da ponte suspensa e em elementos de betão armado pré-esforçado do viaduto de acesso norte", referiu na altura a entidade sobre as obras na ponte que liga as duas margens do rio Tejo entre Almada e Lisboa.

Inicialmente, a IP tinha estimado que os trabalhos seriam orçados em 18 milhões de euros, mas o consórcio vencedor - entre seis - apresentou uma proposta inferior, no total de 12,6 milhões de euros.

Em 12 de setembro, também no parlamento, o ministro Pedro Marques tinha estimado que a empreitada tivesse início "ainda este ano.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Brexit

"Não penso que Theresa May seja uma mulher muito confiável"

O diretor do gabinete em Bruxelas do think tank Open Europe afirma ao DN que a União Europeia não deve fechar a porta das negociações com o Reino Unido, mas considera que, para tal, Theresa May precisa de ser "mais clara". Vê a possibilidade de travar o Brexit como algo muito remoto, de "hipóteses muito reduzidas", dependente de muitos fatores difíceis de conjugar.

Premium

Pedro Lains

"Gilets jaunes": se querem a globalização, alguma coisa tem de ser feita

Há muito que existe um problema no mundo ocidental que precisa de uma solução. A globalização e o desenvolvimento dos mercados internacionais trazem benefícios, mas esses benefícios tendem a ser distribuídos de forma desigual. Trata-se de um problema bem identificado, com soluções conhecidas, faltando apenas a vontade política para o enfrentar. Essa vontade está em franco desenvolvimento e esperemos que os recentes acontecimentos em França sejam mais uma contribuição importante.