Pais mudam morada fiscal para inscrever filhos na escola

Denúncia parte do movimento "Chega de Moradas Falsas" que diz terem sido relatadas situações deste tipo no agrupamento de escolas D. Filipa de Lencastre

O movimento "Chega de Moradas Falsas" garante que há pais a mudar a morada fiscal para colocarem os filhos na escola pública que pretendem. A denúncia foi feita por uma das fundadoras do movimento, Ana Sardoeira, em declarações à rádio TSF.

Ana Sardoeira sublinhou que esta é uma estratégia seguida por alguns pais que não moram na área de influência do agrupamento de escolas D. Filipa de Lencastre, mas que querem ter os filhos a estudar nesta escola, uma das mais procuradas de Lisboa.

O movimento admite não saber quantos casos deste existem, mas garante que já foram relatadas situações destas a pais de alunos e vizinhos e até na secretaria da escola.

A decisão de mudar a residência fiscal é uma forma de tentar contornar as exigências das escolas que cumprem o despacho do Ministério da Educação referente aos critérios a seguir para aceitar as matrículas nas escolas. Um documento que surgiu depois de várias polémicas sobre a colocação de alunos em estabelecimento de ensino que não pertencem à sua área de residência, mas que conseguiam lugar apresentando moradas que não eram as suas.

Ler mais

Exclusivos

Adolfo Mesquita Nunes

Premium Derrotar Le Pen

Marine Le Pen não cativou mais de dez milhões de franceses, nem alguns milhões mais pela Europa fora, por ter sido estrela de conferências ou por ser visita das elites intelectuais, sociais ou económicas. Pelo contrário, Le Pen seduz milhões de pessoas por ter sido excluída desse mundo: é nesse pressuposto, com essa medalha, que consegue chegar a todos aqueles que, na sequência de uma crise internacional e na vertigem de uma nova economia digital, se sentem excluídos, a ficar para trás, sem oportunidades.

João Taborda da Gama

Premium Temos tempo

Achamos que temos tempo mas tempo é a única coisa que não temos. E o tempo muda a relação que temos com o tempo. Começamos por não querer dormir, passamos a só querer dormir, e por fim a não conseguir dormir ou simplesmente a não dormir, antes de passarmos o resto do tempo a dormir, a dormir com os peixes. A última fase pode conjugar noites claras e tardes escuras, longas sestas de dia com um dormitar de noite. Disse-me um dia o meu barbeiro que os velhotes passam a noite acordados para não morrerem de noite, e se ele disse é porque é.