Polícia deteve mais de uma dezena de suspeitos da invasão em Alcochete

Fonte policial tinha dito à Lusa que o número de detidos era de seis, mas que podia aumenta. Operação conjunta da PSP e GNR decorre em Lisboa e noutras zonas próximas.

A PSP e a GNR detiveram hoje 15 pessoas no âmbito das agressões que ocorreram em maio na Academia do Sporting em Alcochete, segundo a revista Sábado. Mais cedo, fonte policial indicara à agência Lusa que eram seis os detidos, admitindo contudo que o número pudesse aumentar, uma vez que a operação ainda estava em curso.

A operação decorre no âmbito de uma investigação dirigida pelo Departamento de Investigação e Ação Penal (DIAP) às agressões que aconteceram a 15 de maio na Academia do Sporting em Alcochete.

Segundo a revista, as detenções ocorreram em Lisboa, Montijo, Amora, Cacém, Lavradio, Vale da Amoreira, Loures, Moita e Rio de Mouro. Os detidos têm idades à volta dos 25 anos e mais de metade já estavam referenciados pelas autoridades por vários crimes, como tráfico de droga e roubos.

Detidos ouvidos no Tribunal do Barreiro

Segundo a fonte da Lusa, os detidos pela PSP vão passar a noite de hoje no Comandado Metropolitano de Lisboa (Cometlis), em Moscavide.

Os detidos que resultarem da operação de hoje vão ser ouvidos na terça-feira no Tribunal do Barreiro.

No dia 15 de maio passado, a equipa de futebol do Sporting foi atacada na Academia do clube por um grupo de cerca de 40 alegados adeptos encapuzados, que agrediram técnicos, jogadores e 'staff'.

Na altura, a GNR deteve 23 dos atacantes, que permanecem em prisão preventiva.

No dia 05 de junho, foram detidas pelas autoridades mais quatro pessoas, entre elas antigo líder da Juventude Leonina Fernando Mendes, que também ficaram em prisão preventiva.

Estes 27 arguidos estão indiciados por vários crimes, nomeadamente sequestro, ofensa à integridade física qualificada, introdução em lugar vedado ao público, dano com violência, terrorismo, resistência e coação sobre funcionário.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Henrique Burnay

Isabel Moreira ou Churchill

Numa das muitas histórias que lhe são atribuídas, sem serem necessariamente verdadeiras, em resposta a um jovem deputado que, apontando para a bancada dos Trabalhistas, perguntou se era ali que se sentavam os seus inimigos, Churchill teria dito que não: "Ali sentam-se os nossos adversários, os nossos inimigos sentam-se aqui (do mesmo lado)." Verdadeira ou não, a história tem uma piada e duas lições. Depois de ler o que publicou no Expresso na semana passada, é evidente que a deputada Isabel Moreira não se teria rido de uma, nem percebido as outras duas.