Número de detidos pela PSP em operação contra o tráfico de armas subiu para 17

Foram apreendidas 27 armas. Operação decorreu nos distritos do Porto, Santarém, Lisboa e Setúbal

O número de detidos esta quarta-feira pela PSP na operação de combate ao tráfico de armas que decorreu nos distritos do Porto, Santarém, Lisboa e Setúbal subiu para 17, informou o Comando Metropolitano de Lisboa (Cometlis).

Num balanço feito pela PSP às 12:00, a operação denominada "Colmeia" tinha resultado em "13 detenções" e na apreensão de 27 armas.

A operação teve início pelas 07:00 de hoje e "visou o cumprimento de 54 mandados de busca", informou o intendente Resende da Silva durante uma conferência de imprensa no Comando Metropolitano de Lisboa da PSP.

O intendente Resende da Silva avançou que a operação "foi o culminar de uma investigação de cerca de um ano" e "incidiu no crime de tráfico de armas".

Além das 27 armas de fogo apreendidas pelas forças de segurança, também foram apreendidas "várias centenas de munições, bem como acessórios de armas de fogo".

O responsável revelou que as buscas nos quatro distritos "foram bastante espalhadas" e que, "da parte da PSP, o efetivo fixou-se acima dos 400 polícias".

A operação "Colmeia" surgiu com base numa investigação que está a cargo do Departamento de Investigação e Ação Penal de Lisboa, (DIAP) e participaram os comandos metropolitanos da PSP do Porto, Santarém, Lisboa e Setúbal, além da Unidade Especial da Polícia (UEP) e de elementos da Guarda Nacional Republicana (GNR), de acordo com o responsável.

Num comunicado, a Procuradoria-Geral Distrital de Lisboa (PGDL) revela que a operação teve "por objeto a investigação dos crimes de tráfico de armas de fogo praticados por um número alargado de suspeitos", permitindo "apreender as armas de fogo transacionadas e possuídas ilicitamente e pôr termo a esta concreta atividade criminosa de elevada perigosidade e potenciadora da prática de outros crimes".

Os detidos vão ser presentes ao DIAP de Lisboa na quinta-feira.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Nuno Artur Silva

Notícias da frente da guerra

Passaram cem anos do fim da Primeira Guerra Mundial. Foi a data do Armistício assinado entre os Aliados e o Império Alemão e do cessar-fogo na Frente Ocidental. As hostilidades continuaram ainda em outras regiões. Duas décadas depois, começava a Segunda Guerra Mundial, "um conflito militar global (...) Marcado por um número significativo de ataques contra civis, incluindo o Holocausto e a única vez em que armas nucleares foram utilizadas em combate, foi o conflito mais letal da história da humanidade, resultando entre 50 e mais de 70 milhões de mortes" (Wikipédia).

Premium

nuno camarneiro

Uma aldeia no centro da cidade

Os vizinhos conhecem-se pelos nomes, cultivam hortas e jardins comunitários, trocam móveis a que já não dão uso, organizam almoços, jogos de futebol e até magustos, como aconteceu no sábado passado. Não estou a descrever uma aldeia do Minho ou da Beira Baixa, tampouco uma comunidade hippie perdida na serra da Lousã, tudo isto acontece em plena Lisboa, numa rua com escadinhas que pertence ao Bairro dos Anjos.