Morreu o investigador Jorge de Sá, diretor da Aximage

Ministério do Trabalho manifestou o seu "sentido pesar" pelo falecimento.

O investigador Jorge de Sá, vice-presidente da Associação Portuguesa de Mutualidades em representação da Associação Mutualista Montepio Geral, morreu esta quinta-feira em Lisboa, confirmou fonte da Aximage-Comunicação e Imagem, empresa da qual era diretor.

Jorge de Sá era professor do ISCSP-Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas, e tinha sido eleito para a comissão executiva do Conselho Nacional de Economia Social (CNES).

O investigador estava desde janeiro de 2018 integrado no OBSERVARE, e entre 2010 e 2017 no Centro de Administração e Políticas Públicas (CAPP) do Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas (ISCSP) da Universidade Técnica de Lisboa (UTL).

O Ministério do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, em comunicado hoje divulgado, manifestou o seu "sentido pesar" pelo falecimento.

"O Professor Jorge de Sá dedicou parte da sua carreira ao estudo e à defesa do papel da Economia Social, tendo estado diretamente envolvido na criação de um novo quadro legal e institucional da Economia Social no nosso país, em particular no processo da recém-criada Confederação Portuguesa de Economia Social", afirma no comunicado.

O ministério diz ainda reconhecer ao investigador os "méritos para a valorização do setor" social em Portugal, endereçando à família e amigos "as mais sinceras condolências".

Exclusivos

Premium

Adriano Moreira

Navegantes da fé

Este livro de D. Ximenes Belo intitulado Missionários Transmontanos em Timor-Leste aparece numa época que me tem parecido de outono ocidental, com decadência das estruturas legais organizadas para tornar efetiva a governança do globalismo em face da ocidentalização do globo que os portugueses iniciaram, abrindo a época que os historiadores chamaram de Descobertas e em que os chamados navegantes da fé legaram o imperativo do "mundo único", isto é, sem guerras, e da "terra casa comum dos homens", hoje com expressão na ONU.