Governo e CP ofereceram passes semanais a quase sete mil alunos

Iniciativa Comboio do Conhecimento, destinada a promover "experiências de conhecimento do território" a estudantes do superior que passaram para o 2.º ano, já conta com mais de 10 mil candidaturas

A Direção Geral do Ensino Superior (DGES) recebeu "mais de 10 mil pedidos de vouchers", dos quais "já foram aprovados 6957", para o Comboio do Conhecimento, uma iniciativa do governo que permite aos estudantes que concluíram com sucesso o 1.º ano do ensino superior (cursos TeSP, licenciaturas e mestrados integrados) viajarem gratuitamente durante sete dias consecutivos nos serviços urbano, regional, inter-regional e intercidades da CP.

Em comunicado, o Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior explica que o programa, que tem por lema: "Não fiques apeado - dá crédito aos teus estudos e vem conhecer Portugal", "visa estimular a aquisição de competências e de formação superior, aliada ao sucesso académico, e promover experiências de conhecimento do território".

Para terem acesso a estes vouchers, que podem ser utilizados até ao final de 2018, os alunos precisam de ter concluído pelo menos 36 ECTS (créditos académicos) no ano letivo que terminou. Os pedidos podem ser feitos através da página www.comboio-conhecimento.pt, existindo ainda uma aplicação, o Globestamp, onde é possível ter acesso a roteiros, planear viagens e partilhar experiências.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Patrícia Viegas

Espanha e os fantasmas da Guerra Civil

Em 2011, fazendo a cobertura das legislativas que deram ao PP de Mariano Rajoy uma maioria absoluta histórica, notei que quando perguntava a algumas pessoas do PP o que achavam do PSOE, e vice-versa, elas respondiam, referindo-se aos outros, não como socialistas ou populares, não como de esquerda ou de direita, mas como los rojos e los franquistas. E o ressentimento com que o diziam mostrava que havia algo mais em causa do que as questões quentes da atualidade (a crise económica e financeira estava no seu auge e a explosão da bolha imobiliária teve um impacto considerável). Uma questão de gerações mais velhas, com os fantasmas da Guerra Civil espanhola ainda presente, pensei.