Militar da GNR de Vila do Conde acusado de ficar com dinheiro das multas

O guarda-republicano terá ficado com 504,94 euros de cinco multas

O Ministério Público acusou um militar da GNR de Vila do Conde de se apoderar de mais de 500 euros respeitantes a multas de trânsito pagas em dinheiro por cinco cidadãos, informa a Procuradoria Distrital do Porto.

O guarda-republicano, em funções no posto territorial de Vila do Conde daquela força policial, está formalmente acusado de um crime de peculato, em despacho de acusação da 12.ª secção do Departamento de Investigação e Ação Penal - que trata de crimes da área económico-financeira - datado do dia 12 e agora divulgado na página eletrónica da Procuradoria.

Os factos ocorreram entre 15 de janeiro de 2018 e 26 de março seguinte, estando em causa um valor de, exatamente, 504,94 euros.

O valor diz respeito "à soma das quantias que cinco cidadãos lhe haviam entregado, como pagamento voluntário das coimas devidas pelas infrações ao Código da Estrada em que tinham sido autuados", segundo a síntese da acusação.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Saúde

Empresa de anestesista recebeu meio milhão de euros num ano

Há empresas (muitas vezes unipessoais) onde os anestesistas recebem o dobro do oferecido no Serviço Nacional de Saúde para prestarem serviços em hospitais públicos carenciados. Aquilo que a lei prevê como exceção funciona como regra em muitas unidades hospitalares. Ministério diz que médicos tarefeiros são recursos de "última instância" para "garantir a prestação de cuidados de saúde com qualidade a todos os portugueses".