Transportes públicos admitem reforço devido a protesto dos taxistas

Carris e Metro podem aumentar circulação para responder aos constrangimentos causados pela concentração dos taxistas. Câmara de Lisboa apela ao uso de transportes públicos

O Metropolitano de Lisboa e a Carris vão estar atentos ao protesto dos taxistas agendado para esta quarta-feira e admitem reforçar os seus transportes consoante as necessidades que forem identificando ao longo do dia. Carreiras da Carristur e da Carris de e para o Aeroporto Humberto Delgado também serão reforçados.

A Câmara Municipal de Lisboa alerta que a concentração de taxistas - que fechará a Praça dos Restauradores e a Av. da Liberdade à circulação automóvel - irá provocar fortes condicionamentos naquela avenida, bem como na Fontes Pereira de Melo e na da República. Nesse sentido, apela à utilização de transportes públicos.

A Av. da Liberdade e os Restauradores estarão cortados ao trânsito, só podendo circular autocarros de passageiros, viaturas de emergência e policiais. É, contudo, permitido circular nas laterais e na rotunda do Marquês. Na Av. Fontes Pereira de Melo e na Av. da República os taxistas só ocuparão os corredores BUS.

"O Metropolitano de Lisboa monitorizará a evolução da procura ao longo da rede e, se necessário, efetuará um aumento de oferta na medida dos recursos disponíveis", garantiu o Metro, numa resposta enviada à agência Lusa.

O Metro de Lisboa acrescentou ainda que, com a entrada em vigor na segunda-feira dos horários de inverno, houve um aumento da oferta, nomeadamente aos dias úteis e nas horas de ponta das linhas Azul (que faz a ligação entre a Reboleira e Santa Apolónia) e Amarela (liga o Rato a Odivelas).

ANA e CML decidiram reforçar a carreira 783 (Aeroporto Marquês de Pombal) e do Aerobus 1 e 2 da Carristur.

A Carris disse que, neste tipo de situações, "faz sempre uma avaliação das eventuais perturbações na circulação, com o apoio da Câmara Municipal de Lisboa (CML) e das autoridades, e em função dessa avaliação é preparado um plano de contingência".

Esse plano pode ser implementado "integralmente ou por fases" consoante a evolução dos acontecimentos. Nesse sentido, "eventuais reforços na oferta serão introduzidos pontualmente conforme as necessidades que se vierem a identificar", diz a Carris.

De acordo com a Câmara Municipal de Lisboa, dado o fluxo no Aeroporto Humberto Delgado, a ANA e a autarquia decidiram reforçar a carreira 783 (Aeroporto Marquês de Pombal) e do Aerobus 1 e 2 da Carristur.

Os taxistas saem para a rua em protesto contra a lei que regula as quatro plataformas eletrónicas de transporte que operam em Portugal - Uber, Taxify, Cabify e Chaffeur Privé - cuja entrada em vigor está prevista para 1 novembro. A legislação foi promulgada por Marcelo Rebelo de Sousa a 31 de julho, depois de um primeiro veto presidencial.

Ler mais

Exclusivos