Médicos querem explicação do Governo sobre "situação vergonhosa" das ambulâncias

O INEM previa comprar este ano 75 novas ambulâncias para equipar os postos de emergência médica, mas o Ministério das Finanças não autorizou o uso do dinheiro necessário para a aquisição, apesar de a verba ser do próprio instituto.

A Ordem dos Médicos (OM) vai pedir explicações formais ao governo sobre a compra de ambulâncias do INEM, considerando que "continuam as cativações na saúde" e que se trata de uma "situação vergonhosa".

Em declarações à Lusa, o bastonário da OM manifestou preocupação com a situação do INEM e acusou o Executivo de "dar o dito por não dito".

"A renovação das ambulâncias tinha começado a ser feita com o anterior ministro da Saúde e havia um plano para renovar a frota até 2021. É por isso incompreensível esta desonestidade do Governo de dar o dito por não dito, ainda mais quando a verba para a compra das 75 ambulâncias previstas para 2019 pertencia ao próprio INEM", disse Miguel Guimarães.

A reação da OM surge depois de a agência Lusa ter noticiado que o INEM previa comprar este ano 75 novas ambulâncias para equipar os postos de emergência médica, mas o Ministério das Finanças não autorizou o uso do dinheiro necessário, apesar de a verba ser do próprio instituto.

Bastonário da Ordem dos médicos fala em "vergonha nacional"

Para o bastonário dos Médicos, "esta situação acentua a desconfiança dos cidadãos em relação ao poder político e aos serviços de saúde", tratando-se ainda de uma "vergonha nacional".

A OM entende que "o adiamento da compra [das ambulâncias] coloca em causa a qualidade do socorro" e "gera frustrações junto dos profissionais".

O ofício enviado pela OM aos Ministérios da Saúde e das Finanças foi também remetido, a título de conhecimento, ao Presidente da República, acrescentou à Lusa o bastonário, justificando que se trata de uma "área vital que importa e afeta todos os portugueses".

Entretanto, os Ministérios da Saúde e das Finanças já indicaram que estão a ponderar as decisões de investimento do INEM quanto à compra de novas ambulâncias.

Exclusivos