Material de desencarceramento de 36 mil euros roubado aos Bombeiros de Miranda do Douro

Com este roubo, os bombeiros ficam "limitados na sua capacidade operacional em caso de acidente"

Material de desencarceramento avaliado em 36 mil euros foi furtado do parque de viaturas dos Bombeiros de Miranda do Douro, no distrito de Bragança, disse esta quarta-feira à agência Lusa o presidente daquela Associação Humanitária.

"Levaram o gerador, tesouras, e outro material que equipa a viatura de desencarceramento ao serviço dos bombeiros"

Ulisses Firmino contou que os autores do furto entraram ao início da madrugada desta quarta-feira na garagem principal do quartel, onde se encontrava estacionada viatura que continha o equipamento de socorro.

"Levaram o gerador, tesouras, e outro material que equipa a viatura de desencarceramento ao serviço dos bombeiros", detalhou o dirigente.

Esta situação, disse, deixa os Bombeiros de Miranda do Douro "limitados na sua capacidade operacional em caso de acidente".

"Quem entrou aqui conhecia bem as instalações e o dia-a-dia da corporação", vincou Ulisses Firmino.

A GNR de Miranda do Douro está a investigar a ocorrência.

Ler mais

Premium

João Gobern

País com poetas

Há muito para elogiar nos que, sem perspectivas de lucro imediato, de retorno garantido, de negócio fácil, sabem aproveitar - e reciclar - o património acumulado noutras eras. Ora, numa fase em que a Poesia se reergue, muitas vezes por vias "alternativas", de esquecimentos e atropelos, merece inteiro destaque a iniciativa da editora Valentim de Carvalho, que decidiu regressar, em edições "revistas e aumentadas", ao seu magnífico espólio de gravações de poetas. Originalmente, na colecção publicada entre 1959 e 1975, o desafio era grande - cabia aos autores a responsabilidade de dizerem as suas próprias criações, acabando por personalizá-las ainda mais, injectando sangue próprio às palavras que já antes tinham posto ao nosso dispor.