Marcelo debate "Futuro da Europa" com Grupo de Arraiolos na Letónia na próxima semana

No encontro de 13 e 14 de setembro também será discutido o tema da "Resiliência Social"

O Presidente da República vai debater o "Futuro da Europa" com o Grupo de Arraiolos, constituído por chefes de Estado não executivos da União Europeia, na próxima semana, em Rundale e em Riga, na Letónia.

Segundo uma nota divulgada esta quarta-feira no portal da Presidência da República na Internet, Marcelo Rebelo de Sousa vai deslocar-se à Letónia a convite do seu homólogo letão, Raimonds Vejonis, para participar nesta 14ª reunião do Grupo de Arraiolos, que decorrerá nos dias 13 e 14 de setembro.

Nas sessões de trabalho deste encontro, divididas entre o Palácio Rundale e o Castelo de Riga, serão debatidos os temas da "Resiliência social" e do "Futuro da Europa", refere a mesma nota, que descreve o Grupo de Arraiolos como "um importante fórum de diálogo e cooperação entre chefes de Estado europeus".

Este grupo reuniu-se pela primeira vez na vila alentejana de Arraiolos, em 2003, por iniciativa do então Presidente da República de Portugal, Jorge Sampaio, que procurou juntar um conjunto de chefes de Estado com poderes semelhantes aos seus para discutir o futuro da União Europeia.

Desde então, realizaram-se treze encontros, que têm tido periodicidade anual, o último dos quais em Malta, em setembro do ano passado, centrado no tema das migrações, que contou com a presença de treze chefes de Estado, de Malta, Áustria, Bulgária, Croácia, Eslovénia, Estónia, Alemanha, Grécia, Hungria, Itália, Letónia, Polónia e Portugal.

O encontro de setembro de 2016, o primeiro em que participou o atual Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, decorreu em Sófia, na Bulgária, com oito chefes de Estado, da Finlândia, Hungria, Bulgária, Malta, Itália, Letónia, Polónia e de Portugal.

Ler mais

Exclusivos

Premium

nuno camarneiro

Uma aldeia no centro da cidade

Os vizinhos conhecem-se pelos nomes, cultivam hortas e jardins comunitários, trocam móveis a que já não dão uso, organizam almoços, jogos de futebol e até magustos, como aconteceu no sábado passado. Não estou a descrever uma aldeia do Minho ou da Beira Baixa, tampouco uma comunidade hippie perdida na serra da Lousã, tudo isto acontece em plena Lisboa, numa rua com escadinhas que pertence ao Bairro dos Anjos.

Premium

Rui Pedro Tendinha

O João. Outra vez, o João Salaviza...

Foi neste fim de semana. Um fim de semana em que o cinema português foi notícia e ninguém reparou. Entre ex-presidentes de futebol a serem presos e desmentidos de fake news, parece que a vitória de Chuva É Cantoria na Aldeia dos Mortos, de Renée Nader Messora e João Salaviza, no Festival do Rio, e o anúncio da nomeação de Diamantino, de Daniel Schmidt e Gabriel Abrantes, nos European Film Awards, não deixou o espaço mediático curioso.