Falta de água. Cristas acusa Governo de não ter soluções

Presidente do CDS diz que o executivo liderado por António Costa só vai "resolver situações quando elas já acontecem" em vez de tratar dos problemas de forma estrutural

A líder do CDS-PP acusou esta sexta-feira o Governo de não ter soluções para resolver o problema estrutural da falta de água em diversas regiões do país, apesar dos sucessivos avisos do partido no parlamento para a urgência do problema.

"O ano passado assistimos Viseu a ser abastecida com camiões-cisterna. Este ano, perante esta dificuldade, o que vemos é o Governo também dizer que já tem esses camiões preparados. O Governo vai sempre a reboque", disse Assunção Cristas durante uma visita à barragem do Pego do Altar, em Alcácer do Sal, distrito de Setúbal, para assinalar o Dia Mundial da Água.

Segundo a presidente do CDS-PP, o executivo, liderado pelo socialista António Costa, "vai sempre resolver situações quando elas já acontecem".

"Não vemos o Governo empenhado em tratar estes problemas de forma estrutural, com uma visão a médio e longo prazos. O CDS tem-se empenhado, muitas vezes, no parlamento, a trazer essa visão, instando o Governo a que faça estudos sobre a armazenagem de água", acrescentou.

Manifestando grande preocupação com o problema da falta de água, Assunção Cristas afirmou que se tivesse de elencar dois assuntos estruturais da maior relevância para o país, provavelmente, um deles seria a água (o outro seria a demografia, realçando que "uma boa parte do território já está em seca moderada, uma parte pequena em seca severa".

Confrontar o ministro da agricultura

"A água é, de facto, uma questão estrutural, não apenas aqui para Alcácer do Sal, onde estamos, na barragem do Pego do Altar", declarou, após ouvir alguns agricultores da região defenderem a necessidade de se construírem pequenas barragens que iriam reforçar a capacidade de armazenamento de água para a produção de arroz, única cultura que é possível fazer naquela região alentejana, devido à salinidade dos solos.

Convicta de que o executivo não tem dado a devida atenção ao problema da falta de água, Assunção Cristas promete voltar a questionar o ministro da Agricultura, que acusa de ter perdido a oportunidade de resolver alguns destes problemas nos últimos quatro anos.

"O senhor ministro da Agricultura, há quatro anos, já podia ter preparado os planos para desenvolver, a sério, o regadio em várias zonas do país. E não só isso. Em conjunto com o ministro do Ambiente, poderia também ter escolhido as zonas do país onde precisamos de investimentos para barragens de dimensões diferentes, umas maiores, de fins múltiplos, outras mais pequenas", acrescentou.

Para Assunção Cristas, o Governo, "que está refém das esquerdas, o que tem é um acordo que lhe permite governar, mas onde a palavra barragem é simplesmente riscada e postergada de qualquer hipótese de desenvolvimento e de investimento", reiterando que o executivo "já vai atrasado muitos anos no estudo e no planeamento dos investimentos necessários um pouco por todo o país" e não apenas para o setor da agricultura.

Ler mais

Exclusivos