Proteção Civil distribui informações sobre riscos a turistas

Informação tinha indicações sobre o aviso de temperaturas extremas registadas nos últimos dias, o risco de incêndio em diversas zonas do país, os cuidados a ter e as proibições restritas à situação

A Autoridade Nacional de Proteção Civil está a distribuir, desde sábado, pelos turistas e pela comunidade de língua inglesa no Algarve, informações sobre o risco de incêndio, disse esta terça-feira o ministro da Administração Interna.

Segundo Eduardo Cabrita, a difusão de informação tem vindo a ser feita desde o início da ocorrência em Monchique, no distrito de Faro, um incêndio que deflagrou na sexta-feira e que já fez 29 feridos ligeiros e um grave.

A informação distribuída aos turistas tinha indicações sobre o aviso de temperaturas extremas registadas nos últimos dias, o risco de incêndio em diversas zonas do país, os cuidados a ter e as proibições adstritas à situação.

Os turistas que se encontravam em locais de risco extremo de incêndio receberam também, no sábado, avisos por SMS.

A mensagem de aviso foi emitida com o remetente "AvisoPROCIV" e incluiu a referência a um número de atendimento da ANPC, através do qual os cidadãos poderiam esclarecer as suas dúvidas.

Este SMS preventivo da Autoridade Nacional da Proteção Civil (ANPC) para o risco de incêndios para várias zonas do país chegou a mais de sete milhões de pessoas, entre portugueses e estrangeiros, segundo informação da ANPC.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Ricardo Paes Mamede

O populismo entre nós

O sucesso eleitoral de movimentos e líderes populistas conservadores um pouco por todo o mundo (EUA, Brasil, Filipinas, Turquia, Itália, França, Alemanha, etc.) suscita apreensão nos países que ainda não foram contagiados pelo vírus. Em Portugal vários grupúsculos e pequenos líderes tentam aproveitar o ar dos tempos, aspirando a tornar-se os Trumps, Bolsonaros ou Salvinis lusitanos. Até prova em contrário, estas imitações de baixa qualidade parecem condenadas ao fracasso. Isso não significa, porém, que o país esteja livre de populismos da mesma espécie. Os riscos, porém, vêm de outras paragens, a mais óbvia das quais já é antiga, mas perdura por boas e más razões - o populismo territorial.