Fogo na Guarda com uma frente ativa mobiliza 243 operacionais

"As outras frentes - uma no concelho da Guarda e outra no concelho do Sabugal - encontram-se dominadas", afirmou o Comando Distrital de Operações de Socorro da Guarda. Não há habitações em perigo

Um total de 243 operacionais, apoiados por 71 viaturas, estão envolvidos no combate a um incêndio rural na zona de Benespera, no concelho da Guarda, disse à agência Lusa fonte da proteção civil.

Segundo fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) da Guarda, pelas 22:50, estava ativa "a frente sul [do fogo], que se dirige para [o concelho de] Belmonte".

"As outras frentes - uma no concelho da Guarda e outra no concelho do Sabugal - encontram-se dominadas, com algumas reativações, que são prontamente resolvidas" pelos meios no terreno, indicou.

A fonte do CDOS disse ainda à Lusa que não há habitações em perigo, porque as chamas, que avançam numa zona de difíceis acessos, "estão longe de todas as povoações".

O incêndio, que teve início pelas 18.18 de quarta-feira, foi dado como dominado na manhã desta quinta-feira, mas reacendeu-se e obrigou a um reforço de meios, indicou a fonte.

Durante a tarde, o fogo chegou a ser combatido por oito meios aéreos, que foram entretanto desativados com o cair da noite.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Opinião

Os irados e o PAN

A TVI fez uma reportagem sobre um grupo de nome IRA, Intervenção e Resgate Animal. Retirados alguns erros na peça, como, por exemplo, tomar por sério um vídeo claramente satírico, mostra-se que estamos perante uma organização de justiceiros. Basta, aliás, ir à página deste grupo - que tem 136 000 seguidores - no Facebook para ter a confirmação inequívoca de que é um grupo de gente que despreza a lei e as instituições democráticas e que decidiu fazer aquilo que acha que é justiça pelas suas próprias mãos.