Incêndios. Autarquias querem usar fogo de artifício, mas governo diz "não"

A proibição de utilização de todos os artefactos pirotécnicos mantém-se para os sete distritos em alerta vermelho
até à próxima quarta-feira.

Em nota enviada às redações, o Ministério da Administração Interna esclarece as dúvidas das autarquias e os "pedidos de exceção) para a utilização de fogo de artifício e outros artefactos pirotécnicos, nos distritos de de Braga, Bragança, Guarda, Porto, Viana do Castelo, Vila Real e Viseu. "Não haverá qualquer exceção à proibição total da utilização de fogo-de-artifício ou outros artefactos pirotécnicos, independentemente da sua forma de combustão. Enquanto vigorar a Situação de Alerta, as autorizações que possam ter sido emitidas devem ser suspensas."

Eduardo Cabrita manifesta o respeito pelas "tradições do país", mas sublinha que a situação de alerta que se vive no continente, com sete distritos em alerta vermelho, "obriga a um cuidado e a uma atenção acrescida por parte de todos".

Agosto é o mês em que mais festas populares se realizam por todo o país e multiplicam-se pelas aldeias do norte e interior.

Ler mais

Premium

Anselmo Borges

"Likai-vos" uns aos outros

Quem nunca assistiu, num restaurante, por exemplo, a esta cena de estátuas: o pai a dedar num smartphone, a mãe a dedar noutro smartphone e cada um dos filhos pequenos a fazer o mesmo, eventualmente até a mandar mensagens uns aos outros? É nisto que estamos... Por isso, fiquei muito contente quando, há dias, num jantar em casa de um casal amigo, reparei que, à mesa, está proibido o dedar, porque aí não há telemóvel; às refeições, os miúdos adolescentes falam e contam histórias e estórias, e desabafam, e os pais riem-se com eles, e vão dizendo o que pode ser sumamente útil para a vida de todos... Se há visitas de outros miúdos, são avisados... de que ali os telemóveis ficam à distância...