Autarca de Pedrógão Grande pede apreciação do Ministério Público sobre reportagem da TVI

Em causa está uma reportagem da TVI sobre a reconstrução de casas afetadas pelo incêndio de 2017.

O presidente da Câmara Municipal de Pedrógão Grande, Valdemar Alves, decidiu pedir a intervenção do Ministério Público para serem averiguadas denúncias divulgadas num programa televisivo sobre a reconstrução de casas afetadas pelo incêndio de 2017.

"Face à gravidade das denúncias veiculadas na reportagem transmitida pela estação de televisão TVI em 22 de agosto [quarta-feira], denominada 'Repórter TVI -- Compadrio'" e às "imputações graves e difamatórias" ao presidente e vice-presidente da câmara e a funcionários camarários, Valdemar Alves pretende "submeter à apreciação do Ministério Público todas as denúncias que foram ali tratadas".

O objetivo do autarca é, refere num comunicado que divulgou esta quinta-feira, que seja "averiguada a existência ou não de ilícitos criminais".

De acordo com o comunicado, Valdemar Alves decidiu também "participar criminalmente contra a jornalista [Ana Leal] e todos os responsáveis editoriais daquela estação televisiva, designadamente pelas imputações difamatórias que são feitas a título perentório e parcial, e sem respeito pela presunção de inocência".

Ler mais

Exclusivos

Premium

Ricardo Paes Mamede

Foi Centeno quem fez descer os juros?

Há dias a agência de notação Standard & Poor's (S&P) subiu o rating de Portugal, levando os juros sobre a dívida pública para os níveis mais baixos de sempre. No mesmo dia, o ministro das Finanças realçava o impacto que as melhorias do rating da República têm vindo a ter nas contas públicas nacionais. A reacção rápida de Centeno teve o propósito óbvio de associar a subida do rating e a descida dos juros às opções de finanças públicas do seu governo. Será justo fazê-lo?