Incêndio em dois armazéns no concelho das Caldas da Rainha em fase de resolução

Os dois armazéns estão abandonados e serviam para guardar bens alimentares

O incêndio que deflagrou esta terça-feira em dois armazéns abandonados na localidade de Tornada, concelho das Caldas da Rainha, está em fase de resolução desde 08:46, segundo fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Leiria.

A fonte adiantou, cerca das 09:00, que no local continuam 62 operacionais, com o apoio de 21 veículos.

O alerta para o incêndio, na zona de Tornada (União de Freguesias de Tornada e Salir do Porto), foi dado às 05:41.

Uma fonte do CDOS de Leiria adiantou à Lusa cerca das 07:15 que os dois armazéns estão abandonados e que serviam para guardar bens alimentares.

O incêndio, segundo o CDOS, não se propagou a outros edifícios.

Notícia atualizada às 10:55.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Ricardo Paes Mamede

A "taxa Robles" e a desqualificação do debate político

A proposta de criação de uma taxa sobre especulação imobiliária, anunciada pelo Bloco de Esquerda (BE) a 9 de setembro, animou os jornais, televisões e redes sociais durante vários dias. Agora que as atenções já se viraram para outras polémicas, vale a pena revistar o debate público sobre a "taxa Robles" e constatar o que ela nos diz sobre a desqualificação da disputa partidária em Portugal nos dias que correm.

Premium

Rosália Amorim

Crédito: teremos aprendido a lição?

Crédito para a habitação, crédito para o carro, crédito para as obras, crédito para as férias, crédito para tudo... Foi assim a vida de muitos portugueses antes da crise, a contrair crédito sobre crédito. Particulares e também os bancos (que facilitaram demais) ficaram com culpas no cartório. A pergunta que vale a pena fazer hoje é se, depois da crise e da intervenção da troika, a realidade terá mudado assim tanto? Parece que não. Hoje não é só o Estado que está sobre-endividado, mas são também os privados, quer as empresas quer os particulares.