Australiano de 19 anos regou corpo com gasolina em bomba da Galp

Jovem de 19 anos regou-se com gasolina e ateou fogo ao corpo no posto de gasolina da Galp junto às Amoreiras, em Lisboa. As autoridades já afastaram quaisquer motivações de ordem criminal

Um jovem, de 19 anos, ateou fogo ao corpo que tinha regado com gasolina. De acordo com fonte policial, a situação ocorreu pelas 18:00, depois de o jovem se ter dirigido ao funcionário do posto da Galp, na Av. Engenheiro Duarte Pacheco, junto às Amoreiras, e de ter pedido para que uma das bombas fosse desbloqueada para poder encher o jerricã que levava na mão.

O funcionário fez o que lhe foi pedido. O jovem encheu o jerricã, afastou-se da zona das mangueiras e regou-se, ateando depois fogo. O jovem foi socorrido rapidamente.

De acordo com fonte policial, estão neste momento afastadas quaisquer motivações de cariz criminal. A mesma fonte afirmou que o jovem "é um aluno brilhante", mas com alguns problemas de saúde mental. Tem nacionalidade australiana, desconhecendo-se se estaria há muito tempo ou não em Portugal.

A vítima foi transportada pelo INEM ao Hospital de Santa Maria, onde se encontra em estado crítico, por registar queimaduras graves em todo o corpo. O posto da Galp não registou quaisquer danos.

Segundo apurou o DN, a PJ já foi informada do ocorrido, já que a situação envolve um cenário considerado de risco em termos de segurança pública, como são os postos de combustível.

Se você ou alguém que conheça tenha pensamentos de automutilação saiba que existem recursos disponíveis para ajudar, como a Linha SOS Voz Amiga 213544545,912802669,963524660.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Brexit

"Não penso que Theresa May seja uma mulher muito confiável"

O diretor do gabinete em Bruxelas do think tank Open Europe afirma ao DN que a União Europeia não deve fechar a porta das negociações com o Reino Unido, mas considera que, para tal, Theresa May precisa de ser "mais clara". Vê a possibilidade de travar o Brexit como algo muito remoto, de "hipóteses muito reduzidas", dependente de muitos fatores difíceis de conjugar.

Premium

Pedro Lains

"Gilets jaunes": se querem a globalização, alguma coisa tem de ser feita

Há muito que existe um problema no mundo ocidental que precisa de uma solução. A globalização e o desenvolvimento dos mercados internacionais trazem benefícios, mas esses benefícios tendem a ser distribuídos de forma desigual. Trata-se de um problema bem identificado, com soluções conhecidas, faltando apenas a vontade política para o enfrentar. Essa vontade está em franco desenvolvimento e esperemos que os recentes acontecimentos em França sejam mais uma contribuição importante.