Há quase 18 mil trabalhadores precários no Estado

O número de prestadores de serviços no setor público aumentou 14.6% no ano passado

O número de trabalhadores a recibos verdes no Estado voltou a subir em 2017. Segundo o jornal Público, os dados revelados recentemente pela Direção-Geral da Administração e do Emprego Público (DGAEP) revelam que no final do segundo semestre do ano passado, estavam 17.728 pessoas em regime de prestação de serviços nos serviços do Estado central e nas autarquias, mais 14.6% do que em 2016.

Não existia um número tão elevado de trabalhadores precários no Estado desde o segundo semestre de 2013, altura em que foram identificados 28 000 prestadores de serviços.

Por esta altura, lembra o Público, "está em curso o Programa de Regularização Extraordinária dos Vínculos Precários na Administração Pública (PREVPAP) que, só na Administração Central, teve mais de 30 mil candidaturas de trabalhadores a recibos verdes, com contratos emprego-inserção ou a termo certo e estagiários que consideram estar a assegurar funções permanentes nos serviços públicos". Dos 22.321 analisados, 12.522 precários receberam luz verde.

Mais de metade do total destes trabalhadores (56%) estão ligados à administração central, em particular aos serviços dos ministérios do Trabalho e da Segurança Social, da Saúde e da Ciência e Ensino Superior. Só no Ministério do Trabalho há 6113 prestadores de serviço, um terço do total.

No entendimento da DGAEP, o crescimento no Ministério do Trabalho estará relacionado sobretudo com a contratação de formadores para o Instituto do Emprego e Formação Profissional.

Nas câmaras, juntas de freguesia e outros organismos locais existem 7746 trabalhadores nestas condições, mais 3,8% do que em 2016.

Ler mais

Exclusivos