Guarda prisional e mais dois arguidos julgados pela morte de jovem em Montemor-o-Velho

Leonardo Queda morreu na madrugada de 4 de setembro de 2016

O Tribunal de Coimbra começa a julgar na terça-feira três homens, entre os quais um guarda prisional, acusados de ofensas à integridade física que levaram à morte de um jovem, numa rixa, em Montemor-o-Velho, em 2016.

Entre os arguidos está um guarda prisional de 40 anos que é suspeito de ter estado envolvido nas agressões que acabaram por levar à morte do jovem Leonardo Queda, na madrugada de 04 de setembro de 2016.

Segundo o Ministério Público, as agressões começaram na madrugada daquele dia, quando Leonardo Queda, de 18 anos, frequentava a zona dos bares e o próprio "ou um dos amigos que acompanhava, derrubou um copo de cerveja", que atingiu a namorada de Edgar, de 25 anos, um dos arguidos.

De imediato, o jovem terá apertado com força o pescoço de Leonardo, ao mesmo tempo que com a outra mão lhe terá desferido vários socos na cabeça.

Após serem separados pelos amigos, Edgar chamou por Leonardo, sendo que, depois de uma troca de palavras, o arguido foi afastado do local.

Nesse momento, "sem que nada o fizesse prever", o guarda prisional constituído arguido no processo terá agarrado a vítima pelo pescoço, colocando-a "de seguida por baixo da axila esquerda, imobilizando-o, enquanto lhe desferiu vários socos na cabeça, com força", refere a acusação.

Ao mesmo tempo, Edgar e mais um homem de 35 anos terão desferido "diversos murros em várias zonas do corpo e na cabeça de Leonardo Queda, sem que este conseguisse reagir", conta o Ministério Público, sublinhando que os três indivíduos tinham "uma estrutura física forte".

Após o sucedido, Leonardo Queda abandonou o recinto, queixou-se de fortes dores de cabeça no regresso a casa e acabou por vomitar.

Às 08:00, a mãe encontrou o filho inconsciente, "apresentando escorrência sanguinolenta proveniente da boca", tendo acabado por ser confirmado o óbito às 09:25, refere o Ministério Público.

"A morte de Leonardo Queda foi devida a lesões traumáticas cranioencefálicas e meningomedulares", conclui a acusação, frisando que as agressões alegadamente levadas a cabo pelos três arguidos foram a causa da morte do jovem de 18 anos.

Os três arguidos respondem por um crime, em coautoria, de ofensa à integridade física qualificada, agravada pelo resultado.

Ler mais

Exclusivos

Premium

João Gobern

As vidas atrás dos espelhos

Mais do que qualquer apetite científico ou do que qualquer desejo de mergulho académico, o prazer dos documentários biográficos vai-me servindo sobretudo para aconchegar a curiosidade e a vontade de descobrir novos pormenores sobre os visados, até para poder ligar pontas que, antes dessas abordagens, pareciam soltas e desligadas. No domínio das artes, essas motivações crescem exponencialmente, até por permitirem descobrir, nas vidas, circunstâncias e contextos que ganham reflexo nas obras. Como estas coisas valem mais quando vão aparecendo naturalmente, acontecem-me por revoadas. A presente pôs-me a ver três poderosos documentos sobre gente do cinema, em que nem sempre o "valor facial" retrata o real.

Premium

nuno camarneiro

Uma aldeia no centro da cidade

Os vizinhos conhecem-se pelos nomes, cultivam hortas e jardins comunitários, trocam móveis a que já não dão uso, organizam almoços, jogos de futebol e até magustos, como aconteceu no sábado passado. Não estou a descrever uma aldeia do Minho ou da Beira Baixa, tampouco uma comunidade hippie perdida na serra da Lousã, tudo isto acontece em plena Lisboa, numa rua com escadinhas que pertence ao Bairro dos Anjos.

Premium

Rui Pedro Tendinha

O João. Outra vez, o João Salaviza...

Foi neste fim de semana. Um fim de semana em que o cinema português foi notícia e ninguém reparou. Entre ex-presidentes de futebol a serem presos e desmentidos de fake news, parece que a vitória de Chuva É Cantoria na Aldeia dos Mortos, de Renée Nader Messora e João Salaviza, no Festival do Rio, e o anúncio da nomeação de Diamantino, de Daniel Schmidt e Gabriel Abrantes, nos European Film Awards, não deixou o espaço mediático curioso.