Gosta de velocidade? Cuidado que a PSP reforçou fiscalização

Até domingo PSP vai aumentar a fiscalização nas estradas de Lisboa. Condutor pode ter de pagar coima até 2500 euros

A Polícia de Segurança Pública vai intensificar o controlo de velocidade nas estradas da Área Metropolitana de Lisboa até domingo com uma operação batizada com o slogan: "Partilha a vida. Não a velocidade. A vida não se mede em km/h! Boa viagem".

Num comunicado divulgado esta segunda-feira, a Divisão de Trânsito do Comando de Lisboa refere que esta ação faz parte de uma política de "segurança rodoviária eficaz e preventiva, a qual visa a diminuição de infrações e, consequentemente, a redução no número de acidentes rodoviários".

Assim, até domingo as operações de fiscalização vai decorrer em toda a área metropolitana tendo como principal objetivo detetar condutores em excesso de velocidade, infração que, recorda a PSP, é punida com "uma coima de 2500 euros, uma sanção acessória até dois anos, e a subtração de um máximo de quatro pontos da carta de condução do infrator".

Segundo os dados da Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária o número de acidentes nas estradas nacionais aumentou nos primeiros seis meses do ano relativamente ao período homólogo, com um total de 63.357 desastres, mas registaram-se menos vítimas mortais.

De acordo com o mais recente balanço da ANSR entre 1 de janeiro e 30 de junho registaram-se mais 2403 acidentes do que no período homólogo. Quanto às vítimas mortais, no primeiro semestre do ano registaram-se 220 mortos, menos 15 relativamente ao mesmo período do ano passado (235).

Ler mais

Exclusivos

Premium

João Almeida Moreira

Bolsonaro, curiosidade ou fúria

Perante um fenómeno que nos pareça ultrajante podemos ter uma de duas atitudes: ficar furiosos ou curiosos. Como a fúria é o menos produtivo dos sentimentos, optemos por experimentar curiosidade pela ascensão de Jair Bolsonaro, o candidato de extrema-direita do PSL em quem um em cada três eleitores brasileiros vota, segundo sondagem de segunda-feira do banco BTG Pactual e do Instituto FSB, apesar do seu passado (e presente) machista, xenófobo e homofóbico.

Premium

Rosália Amorim

"Sem emoção não há uma boa relação"

A frase calorosa é do primeiro-ministro António Costa, na visita oficial a Angola. Foi recebido com pompa e circunstância, por oito ministros e pelo governador do banco central e com honras de parada militar. Em África a simbologia desta grande receção foi marcante e é verdadeiramente importante. Angola demonstrou, para dentro e para fora, que Portugal continua a ser um parceiro importante. Ontem, o encontro previsto com João Lourenço foi igualmente simbólico e relevante para o futuro desta aliança estratégica.