Furacão "Helene" pode atingir sete ilhas dos Açores como tempestade tropical

O IPMA afirma que o ciclone está a deslocar-se "a cerca de 20 quilómetros por hora, devendo a sua trajetória infletir para norte no decorrer do dia".

O furacão "Helene" deverá chegar aos Açores no sábado como tempestade tropical e poderá atingir os grupos Ocidental e Central do arquipélago, segundo uma nota de hoje do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).

Num comunicado emitido esta manhã, o IPMA adianta que o ciclone está a deslocar-se "a cerca de 20 quilómetros por hora, devendo a sua trajetória infletir para norte no decorrer do dia".

"Está ainda previsto para o final da semana um posterior desvio da sua trajetória em direção a nordeste, bem como um aumento da sua velocidade de deslocamento", acrescenta o IPMA, indicando ser possível que "a sua trajetória intersecte a região dos Açores que inclui os grupos Ocidental (Flores e Corvo) e Central (Terceira, São Jorge, Pico, Graciosa e Faial) a partir de sábado".

O ciclone era às 09:00 locais de hoje (mais uma hora em Lisboa), classificado como furacão de categoria 2, com vento máximo de 150 quilómetros por hora.

"É provável que a sua intensidade diminua devido ao seu deslocamento para águas mais frias e, nas próximas 36 horas, se torne tempestade tropical", explica ainda o comunicado do IPMA.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Rosália Amorim

"Sem emoção não há uma boa relação"

A frase calorosa é do primeiro-ministro António Costa, na visita oficial a Angola. Foi recebido com pompa e circunstância, por oito ministros e pelo governador do banco central e com honras de parada militar. Em África a simbologia desta grande receção foi marcante e é verdadeiramente importante. Angola demonstrou, para dentro e para fora, que Portugal continua a ser um parceiro importante. Ontem, o encontro previsto com João Lourenço foi igualmente simbólico e relevante para o futuro desta aliança estratégica.