Furacão Helene mantém trajetória de aproximação aos Açores

De acordo com o IPMA, o ciclone está a deslocar-se a 19 quilómetros por hora

O furação Helene, que estava na noite de terça-feira a 2.435 quilómetros a sul-sudoeste dos Açores, mantém a trajetória de aproximação ao arquipélago, segundo o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).

De acordo com o IPMA, o ciclone está a deslocar-se a 19 quilómetros por hora e existe a "possibilidade de o arquipélago dos Açores sofrer a influência deste ciclone a partir de sábado".

O ciclone estava às 21:00 de terça-feira (mais uma hora em Lisboa) classificado como furacão de categoria 2, com vento médio de 165 quilómetros por hora, mas deve perder intensidade.

"É expectável que a sua intensidade diminua devido ao seu deslocamento para águas mais frias e, nas próximas 36 horas, se torne tempestade tropical", informa o IPMA.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Opinião

Os aspirantes a populistas

O medo do populismo é tão grande que, hoje em dia, qualquer frase, ato ou omissão rapidamente são associados a este bicho-papão. E é, de facto, um bicho-papão, mas nem tudo ou todos aqueles a quem chamamos de populistas o são de facto. Pelo menos, na verdadeira aceção da palavra. Na semana em que celebramos 45 anos de democracia em Portugal, talvez seja importante separarmos o trigo do joio. E percebermos que há políticos com quem podemos concordar mais ou menos e outros que não passam de reles cópias dos principais populistas mundiais, que, num fenómeno de mimetismo - e de muito oportunismo -, procuram ocupar um espaço que acreditam estar vago entre o eleitorado português.