Força Aérea admite ter entrado "inadvertidamente" no espaço aéreo finlandês

A Força Aérea portuguesa admite em comunicado que uma das suas aeronaves, destacada na Polónia, no âmbito de uma operação da NATO, entrou sem intenção no espaço aéreo da Finlândia, e "lamenta o sucedido"

Um avião P-3C CUP+ da Força Aérea portuguesa entrou esta segunda-feira de manhã no espaço aéreo finlandês, na sequencia de uma manobra. A tripulação "não conseguiu evitar" a situação e ultrapassou "em cerca de 500 metros" o limite do espaço aéreo finlandês, reconhece a Força Aéra em comunicado.

A aeronave em causa integra uma missão da NATO, que está a decorrer no Mar Bálltico, entre a Estónia e a Finlândia.

Durante o voo, esta segunda-feira de manhã, "ao efectuar uma correção de rumo", a tripulação do P-3C CUP+ acabou por entrar no espaço aéreo finlandês, explica a Força Aérea, que "lamenta o sucedido", esclarecendo ainda que "não se tratou de uma ação premeditada", mas que foi "consequência de uma manobra em voo".

Esta informação, de acordo com o mesmo comunicado, "foi transmitida às autoridades finladesas".

Depois de os radares terem captado a entrada da aeronave portuguesa no espaço aéreo daquele país, Portugal e Finlândia analisaram esta terça-feira as gravações de voo.

A Força Aérea confirma que isso aconteceu de facto, por uma margem de 500 metros.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Saúde

Empresa de anestesista recebeu meio milhão de euros num ano

Há empresas (muitas vezes unipessoais) onde os anestesistas recebem o dobro do oferecido no Serviço Nacional de Saúde para prestarem serviços em hospitais públicos carenciados. Aquilo que a lei prevê como exceção funciona como regra em muitas unidades hospitalares. Ministério diz que médicos tarefeiros são recursos de "última instância" para "garantir a prestação de cuidados de saúde com qualidade a todos os portugueses".