Sabugal. Avião amarou na barragem e um bombeiro ficou ferido no combate ao fogo

Aeronave perdeu potência após abortar a descolagem na sequência de uma operação de recolha de água para combate a incêndio

Um avião que combatia hoje um incêndio no Sabugal, distrito da Guarda, amarou numa barragem, na sequência de uma avaria mecânica, disse fonte da Proteção Civil.

De acordo com a Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil, o incidente terá ocorrido às 16:40 e a tripulação saiu ilesa, não havendo a registar quaisquer danos.

"Um avião anfíbio pesado (Canadair CL215), de indicativo operacional Alfa 1, do Dispositivo Especial de Combate a Incêndios Rurais, amarou esta tarde na Barragem do Sabugal devida a uma avaria mecânica (perda de potência) após abortar a descolagem na sequência de uma operação de 'scooping'", (recolha de água) refere a Proteção Civil.

Esta aeronave está habitualmente estacionada no Centro de Meios Aéreos de Castelo Branco.

Este é, pelo menos, o terceiro incidente com aviões de combate a incêndios este ano, depois de casos semelhantes em Tomar (Castelo do Bode) e na barragem do Beliche, no Algarve.

Bombeiro ferido

O incêndio que consome uma zona de mato no Sabugal, no distrito da Guarda, ficou dominado ao fim de seis horas e causou ferimentos ligeiros num bombeiro, disse fonte do Centro Distrital de Operações de Socorro (CDOS).

O fogo, ativo desde as 15:14, "está dominado e ainda não entrou em fase de rescaldo", afirmou a mesma fonte à agência Lusa.

Segundo o CDOS da Guarda, o fogo provocou ferimentos ligeiros num bombeiro da corporação da Guarda, que foi reencaminhado para o hospital da sede do distrito.

Pelas 21:30, o incêndio mobilizava ainda 217 operacionais e 70 viaturas de várias corporações de bombeiros dos distritos da Guarda, Lisboa, Viseu e Castelo Branco.

Os seis meios aéreos que foram envolvidos para combater o fogo foram desmobilizados com o cair da noite, adiantou a mesma fonte.

O incêndio começou às 15:14 na localidade de Santo Estêvão.

Exclusivos

Premium

Maria Antónia de Almeida Santos

Uma opinião sustentável

De um ponto de vista global e a nível histórico, poucos conceitos têm sido tão úteis e operativos como o do desenvolvimento sustentável. Trouxe-nos a noção do sistémico, no sentido em que cimentou a ideia de que as ações, individuais ou em grupo, têm reflexo no conjunto de todos. Semeou também a consciência do "sustentável" como algo capaz de suprir as necessidades do presente sem comprometer o futuro do planeta. Na sequência, surgiu também o pressuposto de que a diversidade cultural é tão importante como a biodiversidade e, hoje, a pobreza no mundo, a inclusão, a demografia e a migração entram na ordem do dia da discussão mundial.