Estrangeiro que transportava droga no organismo morre no aeroporto

Um cidadão estrangeiro foi impedido de entrar em Portugal no Aeroporto de Lisboa por não conseguir justificar a razão da visita. Acabou por morrer devido a complicações por transportar droga no organismo.

O Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) anunciou que recusou esta sexta-feira a entrada a um estrangeiro no Aeroporto de Lisboa "por não ter a comprovação do objetivo da estadia em território nacional". Este acabou por "entrar em colapso devido a complicações decorrentes do transporte de estupefacientes no interior do seu organismo"

O passageiro encontrava-se no guichet de admissão no Espaço Equiparado a Centro de Instalação Temporária (EECIT) do aeroporto quando colapsou. Diz o SEF que foram acionados todos os mecanismos médicos, nomeadamente com a intervenção do INEM, para reanimar o cidadão, mas este acabaria por falecer. Eram 12:40.

Estava um outro cidadão estrangeiro na mesma fila e que, ao se aperceber do sucedido, declarou que também ele transportava droga no organismo, no caso, 90 bolotas de produto estupefaciente.

Foi transportado para o Hospital de São José, em Lisboa, onde ficará em observação e, posteriormente, "será entregue à Polícia Judiciária, assim como o produto estupefaciente", diz o SEF.

Ler mais

Exclusivos

Premium

adoção

Técnicos e juízes receiam ataques pelas suas decisões

É procurador no Tribunal de Cascais há 25 anos. Escolheu sempre a área de família e menores. Hoje ainda se choca com o facto de ser uma das áreas da sociedade em que não se investe muito, quer em meios quer em estratégia. Por isso, defende que ainda há situações em que o Estado deveria intervir, outras que deveriam mudar. Tudo pelo superior interesse da criança.