Enfermeiros marcam greve nacional para 20 e 21 de setembro

Protesto foi anunciado numa conferência de imprensa na sede da UGT, em Lisboa

Os sindicatos dos enfermeiros anunciaram uma nova greve nacional para os dias 20 e 21 de setembro.

A paralisação foi anunciada numa conferência de imprensa que se realizou esta quarta-feira na sede da UGT, em Lisboa.

Em causa está uma falta de resposta por parte do Ministério da Saúde, que, segundo os seis sindicatos que marcaram o protesto (Sindicato dos Enfermeiros Portugueses, Sindicato dos Enfermeiros, Sindicato Independente dos Profissionais de Enfermagem, Sindicato Democrático dos Enfermeiros de Portugal, Associação Sindical Portuguesa dos Enfermeiros e Sindicato dos Enfermeiros da Região Autónoma da Madeira), "não cumpre compromisso, não envia contraproposta de carreira de enfermagem", depois de uma ausência de um documento que permitia analisar a contraproposta do Governo.

Ainda hoje, os representantes sindicais vão tentar reunir-se com a bastonária da Ordem dos Enfermeiros, Ana Rita Cavaco, sobre as negociações da carreira.

Os enfermeiros já tinham feito uma greve de cinco dias, entre os dias 13 e 17 de agosto, protesto convocado pelo Sindicato Independente Profissionais de Enfermagem (SIPE) e pelo Sindicato dos Enfermeiros (SE).

Ler mais

Exclusivos

Premium

João Almeida Moreira

Bolsonaro, curiosidade ou fúria

Perante um fenómeno que nos pareça ultrajante podemos ter uma de duas atitudes: ficar furiosos ou curiosos. Como a fúria é o menos produtivo dos sentimentos, optemos por experimentar curiosidade pela ascensão de Jair Bolsonaro, o candidato de extrema-direita do PSL em quem um em cada três eleitores brasileiros vota, segundo sondagem de segunda-feira do banco BTG Pactual e do Instituto FSB, apesar do seu passado (e presente) machista, xenófobo e homofóbico.