DIAP confirma que está a investigar incidentes durante tourada

Na quinta-feira três ativistas antitouradas entraram na arena da Praça de Albufeira durante a corrida, tendo sido retirados pela GNR e agredidos quando eram levados do recinto, mostram as imagens de um vídeo partilhado no Facebook por Peter Janssen, ativista do Vegan Strike Group.

O Departamento de Investigação e Ação Penal (DIAP) confirmou ao DN que está a investigar os incidentes que ocorreram durante uma corrida de toiros realizada em Albufeira, na passada quinta-feira.

Conforme o Diário de Notícias noticiou na quarta-feira, três ativistas antitouradas entraram na arena durante a tourada, tendo sido retirados pela GNR. Já detidos, foram agredidos, no momento em que saíam da praça. O momento foi captado em vídeo e partilhado no Facebook por Peter Janssen, ativista do Vegan Strike Group (organização internacional que luta contra o abuso de animais).

Segundo os relatos de três pessoas ao DN, outros foram agredidos no exterior da praça de touros, apesar de não terem participado na invasão, incluindo uma mulher que afirmou ter sido alvo de agressão por agentes da GNR. A ocorrência vai ser investigada, garante a Guarda Nacional Republicana, que já procedeu à "abertura de um processo de averiguações" interno.

Sobre esta acusação, o comando geral da GNR explicou "que no exterior do recinto, a GNR foi chamada a intervir devido a um conflito existente entre duas mulheres, motivado pela posse indevida de um telemóvel, tendo o mesmo sido recuperado pelos militares e devolvido à legítima proprietária".

Para esta sexta-feira está previsto novo protesto antitouradas em Albufeira, por ocasião da corrida da RTP naquela praça.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Ricardo Paes Mamede

A "taxa Robles" e a desqualificação do debate político

A proposta de criação de uma taxa sobre especulação imobiliária, anunciada pelo Bloco de Esquerda (BE) a 9 de setembro, animou os jornais, televisões e redes sociais durante vários dias. Agora que as atenções já se viraram para outras polémicas, vale a pena revistar o debate público sobre a "taxa Robles" e constatar o que ela nos diz sobre a desqualificação da disputa partidária em Portugal nos dias que correm.

Premium

Rosália Amorim

Crédito: teremos aprendido a lição?

Crédito para a habitação, crédito para o carro, crédito para as obras, crédito para as férias, crédito para tudo... Foi assim a vida de muitos portugueses antes da crise, a contrair crédito sobre crédito. Particulares e também os bancos (que facilitaram demais) ficaram com culpas no cartório. A pergunta que vale a pena fazer hoje é se, depois da crise e da intervenção da troika, a realidade terá mudado assim tanto? Parece que não. Hoje não é só o Estado que está sobre-endividado, mas são também os privados, quer as empresas quer os particulares.