CP vai alugar comboios a diesel a Espanha para linhas do Oeste e Algarve

O ministro do Planeamento, Pedro Marques, anunciou hoje que a CP vai alugar em Espanha comboios a diesel para melhorar o serviço nas linhas do Oeste e do Algarve.

"Em articulação com as autoridades espanholas, vamos reforçar o aluguer de material circulante elétrico e a diesel, para repor o mais depressa possível todas as condições de circulação nas nossas linhas regionais", afirmou, em declarações aos jornalistas.

Falando em Marco de Canaveses, onde hoje foi consignada a empreitada de eletrificação da Linha do Douro, no valor de 10 milhões de euros, entre as estações de Caíde (Lousada) e Marco de Canaveses, o ministro reconheceu haver razões para os utentes estarem descontentes com o serviço prestado pela CP nas linhas férreas do Oeste e do Algarve.

Pedro Marques explicou que as perturbações decorrem das dificuldades que tem havido na manutenção do material circulante devido à insuficiência de recursos humanos na Empresa de Manutenção de Equipamento Ferroviário - EMEF, situação que o atual Governo quer ver resolvida com a contratação de mais pessoal.

"Determinámos, em articulação com a CP, a contratação de mais 102 pessoas para a manutenção do material ferroviário. Tínhamos definido 50, percebemos a necessidade de reforçar essa capacidade e decidimos ontem, em definitivo da parte do Governo, duplicar essa contratação", anunciou.

O ministro sublinhou que "estas pessoas são contratadas para a manutenção do material circulante".

"Essa é a grande necessidade que temos. Nós temos algum material circulante a diesel, mas não tínhamos recursos humanos suficientes e competências técnicas suficientes na EMEF para fazer essa manutenção"

Pedro Marques previu que, "se tudo correr bem nos concursos, no último trimestre deste ano já estarão ao serviço na EMEF".

"Fará toda a diferença na disponibilidade do material circulante que já temos e que está agora eventualmente imobilizado ou em piores condições de circulação", assinalou.

Aos jornalistas, o ministro acrescentou que os problemas atuais naquelas linhas regionais ocorrem também porque não se procedeu, no passado, à eletrificação da infraestrutura.

"Estamos a fazê-la agora, como sabem. No início de 2019, tanto na Linha do Algarve, como na Linha do Oeste, estaremos a começar a eletrificação dessas linhas"

Questionado, por outro lado, sobre os atrasos que se têm observado na circulação na Linha do Norte, o governante reconheceu as dificuldades, mas lembrou que se devem às obras que estão a decorrer na infraestrutura ferroviária.

"Continuaremos a explicar isto às pessoas e a pedir que compreendam que estamos a fazê-lo para que o futuro da Linha do Norte seja o comboio a circular ainda com melhores velocidades e com menos tempo de circulação, com mais segurança e com menos perturbações", comentou aos jornalistas.

Ler mais

Premium

Ricardo Paes Mamede

A "taxa Robles" e a desqualificação do debate político

A proposta de criação de uma taxa sobre especulação imobiliária, anunciada pelo Bloco de Esquerda (BE) a 9 de setembro, animou os jornais, televisões e redes sociais durante vários dias. Agora que as atenções já se viraram para outras polémicas, vale a pena revistar o debate público sobre a "taxa Robles" e constatar o que ela nos diz sobre a desqualificação da disputa partidária em Portugal nos dias que correm.

Premium

Rosália Amorim

Crédito: teremos aprendido a lição?

Crédito para a habitação, crédito para o carro, crédito para as obras, crédito para as férias, crédito para tudo... Foi assim a vida de muitos portugueses antes da crise, a contrair crédito sobre crédito. Particulares e também os bancos (que facilitaram demais) ficaram com culpas no cartório. A pergunta que vale a pena fazer hoje é se, depois da crise e da intervenção da troika, a realidade terá mudado assim tanto? Parece que não. Hoje não é só o Estado que está sobre-endividado, mas são também os privados, quer as empresas quer os particulares.