Morreram duas das cinco pessoas atropeladas por homem alcoolizado em Paredes

Morreram duas pessoas das cinco que ficaram feridas no sábado, na sequência de um atropelamento em Rebordosa, concelho de Paredes, confirmou o DN junto da Diretoria do Norte da Polícia Judiciária.

O atropelamento teve lugar na Rua das Cabaneiras, com um veículo ligeiro a colher sete pessoas. As duas vítimas mortais tinham sido hospitalizadas em estado grave após o sucedido, nos hospitais de S. João e de Santo António, no Porto.

O autor do atropelamento, que apresentava uma taxa de alcoolemia considerada crime, está detido na PJ do Porto e foi aberto um inquérito por crime de homicídio, apurou o DN.

O homem alcoolizado circulava em contramão quando atingiu sete pessoas. Segundo o JN, o atropelamento terá ocorrido após uma discussão entre elementos que participavam na festa do Motoclube de Rebordosa. O condutor abandonou o local, entrou no carro e avançou em direção a um grupo que estava em frente à sede da organização.

Dois dos feridos ligeiros foram, por sua vez, transportados para o hospital de Penafiel, enquanto o terceiro foi levado também para o hospital de S. João.

O alerta para o incidente chegou ao CDOS do Porto às 16:34 de sábado, tendo sido mobilizados para o local 29 operacionais e 14 viaturas, incluindo duas VMER (Viaturas Médicas de Emergência Rápida) do INEM, oito viaturas dos Bombeiros de Rebordosa e duas dos bombeiros voluntários do Lordelo.

Exclusivos

Premium

Maria Antónia de Almeida Santos

Uma opinião sustentável

De um ponto de vista global e a nível histórico, poucos conceitos têm sido tão úteis e operativos como o do desenvolvimento sustentável. Trouxe-nos a noção do sistémico, no sentido em que cimentou a ideia de que as ações, individuais ou em grupo, têm reflexo no conjunto de todos. Semeou também a consciência do "sustentável" como algo capaz de suprir as necessidades do presente sem comprometer o futuro do planeta. Na sequência, surgiu também o pressuposto de que a diversidade cultural é tão importante como a biodiversidade e, hoje, a pobreza no mundo, a inclusão, a demografia e a migração entram na ordem do dia da discussão mundial.