Cerca de 70 técnicos participaram na retirada de 29 linces de Silves para Espanha

Incêndio que começou em monchique atingiu com severidade o centro de reprodução

Cerca de 70 profissionais do Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF), entre vigilantes da natureza, técnicos especialistas em fogo e em fauna selvagem estiveram envolvidos na deslocação dos 29 linces do centro de Silves para Espanha. A estratégia, salienta o ICNF, "acabou por se revelar fundamental para o salvamento", pois muito pouco tempo depois da retirada "o incêndio atingiu com severidade o centro de reprodução".

Os 29 linces do Centro Nacional de Reprodução do Lince Ibérico (CNRLI) em Silves, que foram retirados, por prevenção na quarta-feira do local, devido ao incêndio que deflagrou em Monchique, pernoitaram numa escola de Lagoa, encontrando-se já em Espanha.

A esta vasta equipa do ICNF juntou-se ainda uma outra do corpo de fuzileiros da Marinha, elementos do destacamento de trânsito de Albufeira no acompanhamento das colunas de viaturas de transporte de animais até fronteira de Vila Real de Santo António, bem como do destacamento de trânsito de Grândola que acompanharam até à fronteira de Elvas.

Participaram ainda na operação, elementos do Ministério de Transición Ecológica de Espanha, da Junta de Andaluzia, da Junta da Extremadura, e técnicos dos Centros de Cria de El Acebuche, La Olivilla e Zarza de Granadilla.

Do lado português, participaram ainda elementos da Direção Geral de Alimentação e Veterinária, da GNR, da Câmara Municipal de Lagoa e da Direção Regional De Agricultura e Pescas Do Algarve.

A decisão do Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF) constitui "uma medida preventiva já prevista no plano de contingência, ativado desde domingo", pelo que, desde essa altura, estavam no local todos os meios humanos e materiais para defesa e evacuação do CNRLI.

Os 29 animais acabaram por ser capturados entre terça e quarta-feira como medida de prevenção tendo sido colocados na Escola EB 2,3 Jacinto Correia de Lagoa, local disponibilizado pela Câmara Municipal de Lagoa, onde pernoitaram.

Durante a manhã de quinta-feira, os animais foram deslocados para os Centros de Cria de El Acebuche, La Olivilla e Zarza de Granadilla, onde já se encontram nas suas novas instalações e "em boas condições".

O ICNF disse estar a fazer o "levantamento e avaliação" dos danos causados pelo incêndio no CNRLI, para proceder "com a maior brevidade possível à sua recuperação" e poder dar seguimento ao processo de reintrodução de Lince Ibérico em Portugal.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Pedro Lains

O Brasil e as fontes do mal

O populismo de direita está em ascensão, na Europa, na Ásia e nas Américas, podendo agora vencer a presidência do Brasil. Como se explica esta tendência preocupante? A resposta pode estar na procura de padrões comuns, exercício que infelizmente ganha profundidade com o crescente número de países envolvidos. A conclusão é que os pontos comuns não se encontram na aversão à globalização, à imigração ou à corrupção política, mas sim numa nova era de campanhas eleitorais que os políticos democráticos não estão a conseguir acompanhar, ao contrário de interesses políticos e económicos de tendências não democráticas. A solução não é fácil, mas tudo é mais difícil se não forem identificadas as verdadeiras fontes. É isso que devemos procurar fazer.

Premium

João Almeida Moreira

1964, 1989, 2018

A onda desmesurada que varreu o Brasil não foi apenas obra de um militar. Não foi, aliás, apenas obra dos militares. Os setores mais conservadores da Igreja, e os seus fiéis fanáticos, apoiaram. Os empresários mais radicais do mercado, que lutam para que as riquezas do país continuem restritas à oligarquia de sempre, juntaram-se. Parte do universo mediático pactuou, uns por ação, outros por omissão. Os ventos norte-americanos, como de costume, influenciaram. E, por fim, o anticomunismo primário, associado a boas doses de ignorância, embrulhou tudo.