Cem anos depois, Lisboa parou para homenagear os antigos militares da Grande Guerra

Este domingo, a Avenida da Liberdade fechou para receber as comemorações do centenário do Armistício da I Guerra Mundial.

Cerca de 4600 antigos combatentes e 11 aeronaves militares desfilam nesta manhã de domingo na Avenida da Liberdade, em Lisboa. O Presidente da República, o primeiro-ministro e o presidente da Assembleia da República marcaram presença nas celebrações, ao lado de ex-militares da Marinha, do Exército, da Força Aérea, da Guarda Nacional Republicana, polícias da Polícia de Segurança Pública e alunos do Colégio Militar e dos Pupilos do Exército, oriundos de Portugal, mas também da Alemanha, França, Estados Unidos e Reino Unido.

Marcelo Rebelo de Sousa presidiu o evento e já teceu as suas primeiras declarações.

Na capital, celebra-se este domingo os 100 anos desde o fim da Grande Guerra, a 11 de novembro de 1918.

Portugal esteve representado na I Guerra Mundial ao lado dos aliados. Os soldados portugueses estiveram na frente de Angola, em 1914-1915, em Moçambique, entre 1914 e 1918, e em França, em 1917 e 1918.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Brexit

"Não penso que Theresa May seja uma mulher muito confiável"

O diretor do gabinete em Bruxelas do think tank Open Europe afirma ao DN que a União Europeia não deve fechar a porta das negociações com o Reino Unido, mas considera que, para tal, Theresa May precisa de ser "mais clara". Vê a possibilidade de travar o Brexit como algo muito remoto, de "hipóteses muito reduzidas", dependente de muitos fatores difíceis de conjugar.

Premium

Pedro Lains

"Gilets jaunes": se querem a globalização, alguma coisa tem de ser feita

Há muito que existe um problema no mundo ocidental que precisa de uma solução. A globalização e o desenvolvimento dos mercados internacionais trazem benefícios, mas esses benefícios tendem a ser distribuídos de forma desigual. Trata-se de um problema bem identificado, com soluções conhecidas, faltando apenas a vontade política para o enfrentar. Essa vontade está em franco desenvolvimento e esperemos que os recentes acontecimentos em França sejam mais uma contribuição importante.