Caixotes do lixo incendiados em Setúbal e Sintra

PSP reforçou policiamento na zona da Bela Vista (Setúbal), Loures e Odivelas. Foram incendiados 14 caixotes do lixo durante a madrugada.

A PSP registou 14 incêndios em caixotes do lixo durante a madrugada desta quarta-feira e uma tentativa de incendiar um automóvel em Loures, mas que foi impedida pelos agentes. Os incidentes aconteceram em Sintra, na zona junto à esquadra da Bela Vista (Setúbal), Massamá e Queluz (ambos no concelho de Sintra).

Esta foi a primeira noite após os incidentes na Avenida da Liberdade (Lisboa) em que um grupo de jovens atirou pedras aos carros que circulavam na avenida e dois após a intervenção policial no Bairro da Jamaica (Seixal) que espoletou uma onda de condenação da PSP com acusações de uso excessivo de força e de racismo por parte dos agentes. Na sequência destes incidentes, a PSP deteve um total de cinco pessoas - um no Jamaica e quatro na avenida, tendo estes últimos o julgamento sumário marcado para 7 de fevereiro.

Durante a noite foi ainda reforçado o policiamento nas zonas da Bela Vista, Loures e Odivelas com elementos da Unidade especial de polícia, o que aconteceu a partir da noite desta terça-feira, como afirmou a PSP à agência Lusa.

Em relação aos incêndios nos caixotes do lixo, fonte da Direção Nacional da PSP adiantou que "foram observados "pontualmente, em ruas diferentes", sem que houvesse "ajuntamentos, manifestações". Em alguns casos, foi a própria PSP a apagar o fogo, enquanto noutras foi necessária a atuação dos bombeiros.

Segundo a Lusa os casos aconteceram desde as 22:00 de terça-feira, "pontualmente, em ruas diferentes" e a direção nacional garantiu que não se registaram "ajuntamentos, manifestações".

Ler mais

Exclusivos

Premium

Henrique Burnay

A ameaça dos campeões europeus

No dia 6 de fevereiro, Margrethe Vestager, numa só decisão, fez várias coisas importantes para o futuro da Europa, mas (quase) só os jornais económicos repararam. A comissária europeia para a Concorrência, ao impedir a compra da Alstom pela Siemens, mostrou que, onde a Comissão manda, manda mais do que os Estados membros, mesmo os grandes; e, por isso mesmo, fez a Alemanha e a França dizerem que querem rever as regras do jogo; relançou o debate sobre se a Europa precisa, ou não (e em que condições), de campeões para competir na economia global; e arrasou com as suas possibilidades (se é que existiam) de vir a suceder a Jean-Claude Juncker.

Premium

Anselmo Borges

Islamofobia e cristianofobia

1. Não há dúvida de que a visita do Papa Francisco aos Emirados Árabes Unidos de 3 a 5 deste mês constituiu uma visita para a história, como aqui procurei mostrar na semana passada. O próprio Francisco caracterizou a sua viagem como "uma nova página no diálogo entre cristianismo e islão". É preciso ler e estudar o "Documento sobre a fraternidade humana", então assinado por ele e pelo grande imã de Al-Azhar. Também foi a primeira vez que um Papa celebrou missa para 150 mil cristãos na Península Arábica, berço do islão, num espaço público.

Premium

Adriano Moreira

Uma ameaça à cidadania

A conquista ocidental, que com ela procurou ocidentalizar o mundo em que agora crescem os emergentes que parecem desenhar-lhe o outono, do modelo democrático-liberal, no qual a cidadania implica o dever de votar, escolhendo entre propostas claras a que lhe parece mais adequada para servir o interesse comum, nacional e internacional, tem sofrido fragilidades que vão para além da reforma do sistema porque vão no sentido de o substituir. Não há muitas décadas, a última foi a da lembrança que deixou rasto na Segunda Guerra Mundial, pelo que a ameaça regressa a várias latitudes.