Bombeiros resgatam casal que ficou perdido no Gerês

Desde o alerta até ao resgaste, os jovens ficaram perdidos durante quase quatro horas

Os bombeiros de Salto resgataram hoje, pelas 02:00, dois jovens, de 22 anos e 24 anos, que entraram por uma estrada florestal no Parque Nacional da Peneda Gerês, ficando com a viatura imobilizada e perdidos.

De acordo com Hernâni Carvalho, comandante dos bombeiros de Salto, concelho de Montalegre, distrito de Vila Real, o casal andava a fazer um passeio de carro pelo Gerês e entraram num estradão florestal, de terra batida, segundo os próprios, por indicação do GPS.

"Face às condições do caminho, acabaram por ficar imobilizados e não conseguiram progredir, e como não conheciam a zona tiveram alguma dificuldade em conseguir explicar onde estavam e acabaram por ficar algo assustados", afirmou à agência Lusa o comandante.

O alerta foi dado às 22:35 de terça-feira para a freguesia de Vilar da Veiga, no concelho de Terras de Bouro, distrito de Braga. Os jovens foram localizados entre as aldeias de Ermida e Fafião, próximo do rio Arado.

Hernâni Carvalho referiu que, no pedido de ajuda inicial, as coordenadas que os jovens forneceram aos bombeiros eram para uma zona distante do sítio onde estavam e até do parque do Gerês.

Os bombeiros mobilizaram uma equipa de resgate apoiada por duas viaturas e, posteriormente, após uma nova partilha de dados, conseguiram perceber a localização exata.

"Conseguimos, de forma rápida, localizá-los e colocar a viatura deles em segurança, na estrada de alcatrão e no caminho certo", referiu o comandante.

O casal entrou por uma zona de acesso vedado a veículos, pelo que acabaram por ser identificados e autuados pela GNR, que esteve no local através de elementos do Grupo de Intervenção de Proteção e Socorro.

A operação foi dada como concluída pelas 02:00 de hoje.

Ler mais

Exclusivos

Premium

nuno camarneiro

Uma aldeia no centro da cidade

Os vizinhos conhecem-se pelos nomes, cultivam hortas e jardins comunitários, trocam móveis a que já não dão uso, organizam almoços, jogos de futebol e até magustos, como aconteceu no sábado passado. Não estou a descrever uma aldeia do Minho ou da Beira Baixa, tampouco uma comunidade hippie perdida na serra da Lousã, tudo isto acontece em plena Lisboa, numa rua com escadinhas que pertence ao Bairro dos Anjos.

Premium

Rui Pedro Tendinha

O João. Outra vez, o João Salaviza...

Foi neste fim de semana. Um fim de semana em que o cinema português foi notícia e ninguém reparou. Entre ex-presidentes de futebol a serem presos e desmentidos de fake news, parece que a vitória de Chuva É Cantoria na Aldeia dos Mortos, de Renée Nader Messora e João Salaviza, no Festival do Rio, e o anúncio da nomeação de Diamantino, de Daniel Schmidt e Gabriel Abrantes, nos European Film Awards, não deixou o espaço mediático curioso.