Bombeiros resgatam casal que ficou perdido no Gerês

Desde o alerta até ao resgaste, os jovens ficaram perdidos durante quase quatro horas

Os bombeiros de Salto resgataram hoje, pelas 02:00, dois jovens, de 22 anos e 24 anos, que entraram por uma estrada florestal no Parque Nacional da Peneda Gerês, ficando com a viatura imobilizada e perdidos.

De acordo com Hernâni Carvalho, comandante dos bombeiros de Salto, concelho de Montalegre, distrito de Vila Real, o casal andava a fazer um passeio de carro pelo Gerês e entraram num estradão florestal, de terra batida, segundo os próprios, por indicação do GPS.

"Face às condições do caminho, acabaram por ficar imobilizados e não conseguiram progredir, e como não conheciam a zona tiveram alguma dificuldade em conseguir explicar onde estavam e acabaram por ficar algo assustados", afirmou à agência Lusa o comandante.

O alerta foi dado às 22:35 de terça-feira para a freguesia de Vilar da Veiga, no concelho de Terras de Bouro, distrito de Braga. Os jovens foram localizados entre as aldeias de Ermida e Fafião, próximo do rio Arado.

Hernâni Carvalho referiu que, no pedido de ajuda inicial, as coordenadas que os jovens forneceram aos bombeiros eram para uma zona distante do sítio onde estavam e até do parque do Gerês.

Os bombeiros mobilizaram uma equipa de resgate apoiada por duas viaturas e, posteriormente, após uma nova partilha de dados, conseguiram perceber a localização exata.

"Conseguimos, de forma rápida, localizá-los e colocar a viatura deles em segurança, na estrada de alcatrão e no caminho certo", referiu o comandante.

O casal entrou por uma zona de acesso vedado a veículos, pelo que acabaram por ser identificados e autuados pela GNR, que esteve no local através de elementos do Grupo de Intervenção de Proteção e Socorro.

A operação foi dada como concluída pelas 02:00 de hoje.

Exclusivos

Premium

história

A América foi fundada também por angolanos

Faz hoje, 25 de agosto, exatos 400 anos que desembarcaram na América os primeiros negros. Eram angolanos os primeiros 20 africanos a chegar à América - a Jamestown, colónia inglesa acabada se ser fundada no que viria a ser o estado da Virgínia. O jornal The New York Times tem vindo a publicar uma série de peças jornalísticas, inseridas no Project 1619, dedicadas ao legado da escravatura nos Estados Unidos. Os 20 angolanos de Jamestown vinham num navio negreiro espanhol, a caminho das minas de prata do México; o barco foi apresado por piratas ingleses e levados para a nova Jamestown. O destino dos angolanos acabou por ser igual ao de muitos colonos ingleses: primeiro obrigados a trabalhar como contratados e, ao fim de alguns anos, livres e, por vezes, donos de plantações. Passados sete anos, em 1626, chegaram os primeiros 11 negros a Nova Iorque (então, Nova Amesterdão) - também eram angolanos. O Jornal de Angola publicou ontem um longo dossiê sobre estes acontecimentos que, a partir de uma das maiores tragédias da História moderna, a escravatura, acabaram por juntar o destino de dois países, Angola e Estados Unidos, de dois continentes distantes.

Premium

história

A América foi fundada também por angolanos

Faz amanhã, 25 de agosto, exatos 400 anos que desembarcaram na América os primeiros negros. Eram angolanos os primeiros 20 africanos a chegar à América - a Jamestown, colónia inglesa acabada se ser fundada no que viria a ser o estado da Virgínia. O jornal The New York Times tem vindo a publicar uma série de peças jornalísticas, inseridas no Project 1619, dedicadas ao legado da escravatura nos Estados Unidos. Os 20 angolanos de Jamestown vinham num navio negreiro espanhol, a caminho das minas de prata do México; o barco foi apresado por piratas ingleses e levados para a nova Jamestown. O destino dos angolanos acabou por ser igual ao de muitos colonos ingleses: primeiro obrigados a trabalhar como contratados e, ao fim de alguns anos, livres e, por vezes, donos de plantações. Passados sete anos, em 1626, chegaram os primeiros 11 negros a Nova Iorque (então, Nova Amesterdão) - também eram angolanos. O Jornal de Angola publicou ontem um longo dossiê sobre estes acontecimentos que, a partir de uma das maiores tragédias da História moderna, a escravatura, acabaram por juntar o destino de dois países, Angola e Estados Unidos, de dois continentes distantes.